5min. de leitura

PESQUISA REVELA PORQUE OS HOMENS SÃO MENOS SENSÍVEIS DO QUE AS MULHERES (E PORQUE ISSO É UMA COISA BOA)

Todos nós já ouvimos ou vivenciamos o fato de que as mulheres parecem ter mais empatia do que os homens, mas isso não tem que ser uma coisa negativa. Antes dos tempos modernos, os homens caçavam, criavam abrigos, protegiam, coletavam materiais e, em geral, faziam mais tarefas voltadas a sobrevivência. As mulheres, por outro lado, assumiam o papel de cuidadora, educadora e pacificadora. Elas ficavam perto dos abrigos para recolher alimentos, cuidar das crianças, criar vínculo com outras mães nas proximidades, e fazer o “trabalho emocional” que vem junto com a criação dos filhos.


Hoje, em nosso mundo moderno, muito sobre esses papéis tradicionais foi alterado, no entanto, as substâncias químicas que fazem as mulheres serem mais empáticas do que os homens ainda existem. Obviamente, homens e mulheres são diferentes em muitos aspectos, e isso inclui os hormônios que compõem cada um deles. Nós associamos homens a dureza, proteção da família, e comportamento agressivo, às vezes. Isso acontece devido aos altos níveis de testosterona, enquanto as mulheres, obviamente, têm níveis mais baixos. Neste artigo, vamos falar sobre o que exatamente faz com que os homens sejam menos sensíveis do que as mulheres, e por que isso pode ser uma coisa positiva.

pesquisa-revela

De acordo com um estudo publicado na revista Psychoneuroendicinology, a testosterona realmente reduz a conectividade em regiões do cérebro que controlam a sensação de empatia para com os outros, e como usamos essa emoção para tomar decisões. Em outras palavras, os homens têm mais testosterona, o que os torna menos preocupados com a conexão emocional com os outros. Isto é ruim? Bem, isso pode ser frustrante (especialmente se você é uma mulher), mas os homens naturalmente sentem menos as emoções, a fim de cuidarem da sobrevivência. Apesar da tendência da sociedade moderna de orientar papéis de gênero, os homens são programados para não deixarem que suas emoções impeçam seu pensamento lógico, a fim de protegerem suas famílias.


A pesquisa desse estudo foi feita por cientistas da Universidade de Utrecht. Os pesquisadores queriam confirmar conclusões de estudos anteriores de que as mulheres tinham melhor desempenho do que os homens em tarefas que mediam habilidades empáticas. Durante estes estudos, os participantes tinham que determinar as emoções da pessoa apenas olhando em seus olhos.

Os pesquisadores acreditavam que a testosterona causou o pior desempenho dos homens, então projetaram uma nova experiência para ver como o hormônio influenciou o sucesso, e para acompanharem os efeitos da testosterona no cérebro.


Os pesquisadores reuniram 16 participantes do sexo feminino, e usaram a ressonância magnética funcional para medir a atividade cerebral enquanto elas faziam o teste dos olhos. Ao olharem as imagens dos cérebros, eles descobriram que uma região do cérebro chamada giro frontal inferior foi ativada quando elas tiveram que ligar uma emoção a uma imagem, o que sugere que esta parte do cérebro desempenha um papel importante na empatia com os outros.

pesquisa-revela2

Depois disso, os pesquisadores deram à metade das participantes uma grande dose de testosterona, o que aumentaria os seus níveis sanguíneos do hormônio dez vezes, enquanto a outra metade recebeu um placebo.

Após as mulheres repetirem o teste, os pesquisadores descobriram que aquelas que tinham tomado testosterona levaram muito mais tempo do que as que tomaram placebo para identificarem as emoções representadas nas imagens, o que sugere que a testosterona, de fato, inibi a capacidade de empatia pelos outros.

Os pesquisadores sugerem que a testosterona inibe a capacidade de empatia para com os outros. Uma vez que eles não mediram os efeitos comportamentais de níveis mais elevados de testosterona, no entanto, só podem especular que esse hormônio poderia afetar interações no mundo real.

___

Traduzido pela equipe de O SegredoFonte: Power of Positivity





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.