6min. de leitura

Pessoas que tiveram pais depressivos incorporam esses 8 comportamentos em sua vida adulta

A depressão não é uma condição presente apenas em nosso ambiente, ela também é genética. Isso significa que crianças com pais depressivos têm um risco muito maior de desenvolver essa doença.

Cada vez mais pessoas estão sofrendo de depressão. Um fator que agrava essa condição é nosso modo de vida atual. Trabalhamos por muitas horas consecutivas, carregamos inúmeras responsabilidades e não temos tempo para relaxar, comer direito, exercitarmos e praticarmos atividades que realmente gostamos.



A maioria das pessoas vive uma constante urgência, e isso traz como consequência uma mar de emoções negativas, que nos levam a condições de saúde como ansiedade e depressão.

“Atualmente, quase vinte por cento da população atende aos critérios para alguma forma de depressão – e isso não significa que as pessoas que estão se sentindo temporariamente para baixo e estarão melhores na próxima semana, mas que as pessoas estão sentindo dificuldades reais em lidar com a vida. Conte uma em cada cinco pessoas que você vê na rua – assim pode ter uma ideia de quantas pessoas em sua comunidade podem sofrer de depressão. Eu acho que precisamos entender a conexão entre a depressão do adulto e o comportamento das crianças.” – Richard O ‘Connor, Ph.D.

A depressão não é uma condição presente apenas em nosso ambiente, ela também é genética. Isso significa que crianças com pais depressivos têm um risco muito maior de desenvolver essa doença.


Trazemos abaixo uma lista com 8 comportamentos típicos de adultos que foram criados por pais depressivos.

Se você se identificar com esses comportamentos, busque a ajuda que precisa.

1. Tendência a comportamentos antissociais

As pessoas que sofrem de depressão têm tendência a se afastar das pessoas ao seu redor e passar mais tempo sozinhas. Conforme crescem, os filhos dessas pessoas podem incorporar esse comportamento e carregá-los consigo para o resto da vida, principalmente se não tiverem contato com outras pessoas.


2. Abuso de substâncias

A Anxiety and Depression Association of America (Associação de Ansiedade e Depressão da América, em tradução livre) diz que “cerca de 20 por cento dos americanos com ansiedade ou transtornos de humor, como depressão, têm um transtorno de álcool ou outras drogas, e cerca de 20 por cento das pessoas com transtorno de álcool ou uso de substâncias também possuem uma ansiedade ou transtorno do humor.”


Muitas pessoas recorrem às substâncias porque elas podem aliviar temporariamente os sintomas da depressão. No entanto, a longo prazo, elas podem piorar a condição, de acordo com estudos.


3. Dificuldade em manter relacionamentos

As pessoas que sofrem de depressão se sentem esgotadas, sem energia, e por isso é complicado para elas manterem relacionamentos com aqueles ao seu redor. Muitas dessas pessoas também desenvolvem ansiedade social, o que prejudica ainda mais sua capacidade de interação. Os pais que não têm uma vida social e nem amigos além do relacionamento, tendem a ficar presos às crianças, o que sufoca seus filhos, muitas vezes levando-os a um apego tóxico. Além disso, os filhos incorporam as mesmas dificuldades dos pais na criação de novos relacionamentos.


4. Baixa autoestima

Filhos de pais depressivos cresceram em um ambiente de baixa autoconfiança e autoestima, e por isso nunca aprenderam a como incorporar essas características em sua própria personalidade. A professora PhD associada a clínica de psicologia no Centro de Ciências da Saúde da Universidade de Oklahoma, em Oklahoma City, Michelle Sherman, diz que muitas vezes essas crianças podem se culpar pela depressão de seus pais, o que pode levá-las a também desenvolverem problemas de autoestima e amor-próprio.


5. Baixo desenvolvimento pessoal

Como não tiveram pais saudáveis ​​que apoiaram seus sonhos e objetivos de vida, essas crianças podem ter seu desenvolvimento pessoal prejudicado, muitas vezes se tornando adultos sem motivação e ambição, conformando-se com vidas “medíocres”.


6. Perda de interesse pela vida

Assim como seus pais depressivos, as crianças podem começar a perder o interesse nas coisas boas da vida, que uma vez aqueciam seus corações. Esse comportamento é extremamente prejudicial, porque pode fazer as crianças perderem o entendimento de quem realmente são, o que as desencoraja a tentar novas coisas na vida.


7. Dificuldade de concentração

Um artigo publicado no National Center for Biotechnology Information (Centro Nacional de Informação Biotecnológica, em português) diz que “problemas de concentração e tomada de decisões, bem como outros sintomas, podem surgir como sinais precoces de depressão nas crianças e têm o forte potencial de interferir no funcionamento intelectual e acadêmico, enquanto as falhas escolares associadas podem aumentar independentemente o risco de depressão.”

As crianças que não têm acesso a nenhum tipo de tratamento para depressão possuem mais probabilidade de carregar esses sintomas para a vida adulta.


Direitos autorais da imagem de capa: Kat J / Unsplash

Você sabia que O Segredo está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.



Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.