6min. de leitura

Pessoas tóxicas: a hipocrisia, às vezes, é sutil, mas ficar alerta nunca é demais!

“A coisa mais ofensiva que o seu pior inimigo pode jogar no seu rosto não se compara com o que seus amigos mais íntimos falam de você pelas costas.” (Alfred de Musset)

Pessoas tóxicas: a hipocrisia, às vezes, é sutil e difícil de assumir, mas ficar alerta nunca é demais! Por mais horrível que seja tal afirmação, falar mal dos outros vende. Tem pessoas que, em função dos seus déficits em verdadeiras habilidades sociais, usam a falas sobre a vida dos outros para atrair e conseguir a atenção que precisam.


Por isso, tenha cuidado com quem fala mal dos outros: você não será exceção. Principalmente, quando esse hábito não é usado de forma casual, assim como quando os alvos foram pessoas que, por um determinado tempo foram consideradas por aquele que maldiz como gente que fez parte da sua vida.

Mentiras totalmente elaboradas, rumores infundados, detalhes íntimos contados em uma mesa de bar, sem o menor decoro. 

Essa pessoa, que consideramos um amigo, começa a falar de outras pessoas do nosso entorno, de uma forma verdadeiramente ruim, sem mostrar o menor grau de arrependimento.

Para essas pessoas, a hipocrisia é um recurso corriqueiro na comunicação, que serve de forma indireta para reforçar seus valores, procurando pela atenção do outro, sempre colocando alguém como algoz de sua história.


Isso é um estímulo que funciona mais ou menos assim: se o outro concorda comigo na minha crítica, também estará concordando com o que defendo, também concorda que sou mais uma vez injustiçada.

Assim, esse hábito próprio de mentes inseguras é alimentado, tornando-se um ciclo vicioso, que faz com que esteja sempre em busca de se colocar em todas as situações como alguém que sempre sai prejudicado por outro alguém.

Essa pessoa começa a mostrar seu lado mais obscuro, mas nós nos negamos a pensar que isso seja possível.


Até que percebemos que ela fala com verdadeira maldade, diante de um público atento, de uma pessoa que guardou a mesma relação de confiança que a que você compartilha com ela hoje.

São pessoas que expõe a intimidade do outro, com detalhes mais profundos possíveis, narrando histórias que foram reveladas, por acaso ou descuido, ou até mesmo por confiança, mas que não deixam de pertencer à intimidade de alguém, portanto não deveria ser espalhada por aí sem o seu devido consentimento.

Não se trata de generalizar quem, em algum momento da sua vida, fala mal de alguém, mas, sim, de observar um comportamento repetitivo. Todos somos humanos e queixar-se do outro é algo natural, que faz parte das relações sociais. No entanto, queixas repetitivas da mesma pessoa, sobre várias pessoas diferentes, pode ser uma grande indicação de alguém que apenas gosta de estar com a hipocrisia sempre em dia.

Então, atente-se a essa gente, não dê alimento às maldades. Ninguém vai premiá-lo por tentar se desfazer da hipocrisia a sua volta, por não entrar no jogo sujo de alguém. Muito pelo contrário, você ainda corre o risco de perder contato com amigos e conhecidos, você será presa da dúvida e muitos julgarão a sua atitude.

Colocar limite nos relacionamentos com pessoas totalmente tóxicas, que não apenas praticam a hipocrisia, mas que também ferem quando podem e querem, é difícil, ainda mais quando essa pessoa fez parte da sua intimidade.

Não é coincidência que, nos jogos psicológicos, aquele que se afasta nunca seja o vencedor.

Seja honesto consigo mesmo e cuide da sua saúde emocional, não entre em jogos sujos, não tente desvendar aos outros a hipocrisia do outro. Cada um precisa ser suficientemente responsável para tirar a “venda dos olhos” com autonomia e independência. Você já teve suficiente.

No fim das contas, viver sem estar rodeado de hipocrisia tem uma recompensa implícita em si: você viverá mais rodeado do oposto. Haverá pessoas sadias, com corações limpos, ao seu redor e você terá muito mais espaço para elas. Com o tempo, a ira desaparecerá e até um sentimento de um tanto de compaixão tomará conta de você. Você terá passado o luto da fúria para chegar à mais absoluta das indiferenças.

Você terá aprendido a grande lição: é preciso ficar atento com quem fala mal e prejudica os outros pelas costas. Logo você poderá estar com esse mesmo punhal nas costas, sem saber quem fez você sangrar.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF/Imagens.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.