ColunistasReflexão

Pessoas vão, memórias não.

Pessoas vão memórias não. 1

Acredito que uma das coisas mais bonitas do universo seja a forma como ele flui.



Pessoas chegam outras partem em um movimento que aprendi a admirar com o passar dos anos.

Esse movimento me faz lembrar a onda do mar que em sua sabedoria trás a água para dentro de si para criação de uma nova forma e após o espetáculo com tranquilidade inicia um novo ciclo.

As relações também são assim as pessoas se encontram ao longo das rotinas repetitivas e se transformam ao longo dessas experiências.


Cada momento deixa uma marca como se fosse uma medalha no quadro de recordações.

Nunca se sabe quando será o encontro ou o momento exato da partida.

O que torna esse movimento constante da vida fantástico é perceber que as memórias são capazes de eternizar as pessoas.

A única opção é permitir-se viver, deixando as pessoas livres.


Vivemos em um planeta de abundância onde existe amor para todos.

Troque possíveis desrespeitos futuros pela coragem dizer o que não se sente.

Liberte-se para que novas possibilidades aconteçam.  Se o medo bater em sua porta, respire logo ele passa.

É preciso permitir que aconteça para que possamos construir memórias e eternizar pessoas, porém não tente controlar a inteligência superior que rege o universo, congelando sua vida em um instante único.


Lembre-se só permaneça onde existe reciprocidade e que seja eterno enquanto te faça bem.

“qualquer árvore que queira tocar os céus, precisa ter raízes tão profundas ao ponto de tocar os infernos”.

Artigo Anterior

Moça, não há nada de errado com você!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.