4min. de leitura

Planejar a vida é tão elementar quanto vivê-la!

Basta entrarmos na internet ou entrarmos em uma biblioteca, que nos deparamos com diversos textos, livros artigos sobre o que é ter uma vida plena, feliz e satisfatória.


Alguns dizem que a base da felicidade é experimentar sensações, outros dizem que o sentido da vida é simplesmente vivê-la, outros dizem que a vida se trata de liberdade e nada mais, e assim por diante.

Alguns destes pensadores estão errados? Certamente que não, até porque cada ser é singular e interpreta a vida à sua maneira.

Porém, é elementar termos um planejamento na vida, ao invés de simplesmente deixarmos as coisas acontecerem, até porque para acontecer algo é preciso planejarmos para que isso se realize.

Veja bem, até mesmo para viver a vida “livre de escolhas, sistemas e afins“ é preciso um planejamento. Isso se comprova quando temos a ideia de algo, planejamos como realizaremos esta ideia e, por fim, a executamos. Faz-se necessário planejar para viver.


Usando a ideia de planejamento, na sua essência, conseguimos interpretar e aplicar este conceito tão essencial e simples em toda a nossa vida, de forma proativa. Seja ela em nossa vida pessoal, profissional ou social.


Pois bem, partindo deste ponto, como podemos usar o planejamento de forma positiva e aplicá-lo em nossas vidas?

1. Para planejar algo, antes de qualquer coisa, é essencial termos um propósito de vida, seja ele qual for. Como, por exemplo, ajudar as pessoas ao seu redor, ser rico, observar a vida acontecer e analisar seus fenômenos, existir como ser humano em sua essência, ter o máximo de bens materiais possíveis, etc. Enfim, não importa qual seja o seu propósito, desde que o tenha.


2. Ter a ciência da sua realidade e observar as possibilidades ao seu redor, ou seja, saber o meio em que você está inserido, observar como funcionam as coisas ao seu redor e enxergar possíveis caminhos que o façam a chegar em seus objetivos a curto, médio e longo prazo.



3. Ser responsável pelas suas escolhas e ter a ciência de que nem tudo está sob o seu controle, onde as variáveis são infinitas e toda vez que escolhemos algo, perdemos algo também.


4. Planejar cada ação com base em seus conhecimentos técnicos e tácitos sobre determinada ocasião. Ter suas referências se faz necessário para melhor tomada de decisão.

Por fim, materializar nossas ideias e planejamentos para que possamos ter o melhor proveito possível, tendo em vista que aquilo que está registrado/escrito em um papel, dificilmente se perde em meio a outras ideias.

Enfim, a ideia de planejamento é apenas um pensamento abstrato no qual podemos interpretar e usufruir em seu melhor significado. Claro que, devemos considerar que a vida é uma inconstante e a qualquer momento estamos sujeitos a sermos surpreendidos com o que ela nos reserva. Já que, retomando o raciocínio anterior, nem tudo está sob o nosso controle, e com isso devemos sempre considerar as variáveis.  Porém, como diz aquele velho e famoso jargão do livro (Alice no País das Maravilhas) –

“Quando a gente não sabe para onde vai, qualquer caminho serve”.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: nejron / 123RF Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.