Comportamento

Policial Militar enquadra jovem e diz que ele “tem cara de ladrão”

policial Militar enquadra jovem e diz que ele tem cara de ladrao

Caso aconteceu em Santos (SP). Jovem afirmou que é a quarta vez que foi enquadrado em 12 dias. Confira!



A atitude de um policial militar, em Santos, litoral de São Paulo, repercutiu na internet nos últimos dias. Em um vídeo, o policial diz, durante o enquadramento do jovem Lucas Costa de Araújo, de 23 anos, que trabalha como operador de lojas, que “ele tem cara de ladrão” e que seria “enquadrado dez vezes”.

O vídeo foi publicado como forma de denúncia por Lucas em seu perfil no Facebook, e rapidamente chamou a atenção dos internautas.

O jovem foi entrevistado pelo G1 na última quinta (14) e disse que resolveu compartilhar os vídeos na rede social porque se sentiu indignado com a situação. A abordagem aconteceu quando Lucas voltava do supermercado onde trabalha, por volta das 6h30, da última terça (12).


Ele contou ao portal de notícias que mora em São Vicente, cidade vizinha, e que faz o mesmo trajeto todos os dias. Segundo Lucas, três policiais, que também estavam de bicicleta, passaram por ele na direção oposta, mas voltaram assim que o viram.

O jovem logo percebeu que seria enquadrado e resolveu gravar a situação, já que é a quarta vez que isso acontece apenas nos primeiros dias de janeiro.

Sua intenção era gravar o começo do enquadramento, mas quando percebeu que o policial o ofendia, resolveu continuar.

Na gravação, é possível ouvir o diálogo. O policial começa questionando Lucas por estar “revoltado”. O menino então responde que é porque esse é o quarto “enquadro” que ele leva no ano. Após isso, o policial responde: “Fod*-**, tu tem cara de ladrão, tu vai ser enquadrado dez vezes, você tá escutando?”


Lucas revelou que nunca tinha ouvido nada parecido de nenhum outro policial, e virou a câmera para o rosto do policial, que também pegou o celular para gravar a cena.

O jovem ainda relatou que outro PM pediu que ele colocasse as mãos na cabeça e guardasse o celular, para que fosse revistado. O policial que o ofendeu não participou da revista, mas os outros dois teriam olhado “cada centímetro” da mochila de Lucas, mas não encontraram nada.

Segundo o jovem, um dos policiais disse que o prenderia por desacatado, porque estava falando alto.

Logo depois, chegou outra viatura, com dois policiais, que apenas consultaram seu RG e o liberaram. Antes de ir embora, o policial que o havia ofendido disse que Lucas teria “dado sorte” dessa vez e que se o visse de novo, ele “estaria ferrado”.


Lucas disse que sentiu medo e resolveu postar os vídeos para ter a ofensa registrada, caso algo acontecesse com ele.

O jovem ainda desabafou que Santos não é uma boa cidade para “um preto e favelado como ele” viver. Acrescentou que sempre há uma desculpa para justificar o preconceito e racismo, e que ele não tinha motivo para passar por essa situação, já que estava tudo certo.

Com o alcance do caso, Lucas espera que a PM tome providências e acrescenta que pessoas como o policial que o ofendeu não deveriam trabalhar nas ruas, e espera que ele seja afastado.

A Polícia Militar divulgou uma nota sobre o caso, afirmando que não compactua com desvios de conduta e que todas as denúncias são rigorosamente investigadas pela Seção de Justiça e Disciplina.


Qual sua opinião sobre este caso? Concorda com a atitude de Lucas? E do policial?

Comente abaixo e compartilhe o texto nas redes sociais!

“A decisão mais difícil da vida”, forte relato de médica que cuidou de pai com covid-19

Artigo Anterior

Pai vai buscar filha na escola e volta com criança errada: “Elas mudam muito”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.