Animais

População se mobiliza e ajuda orca encalhada a se manter hidratada até a maré subir!

O caso aconteceu na Ilha do Príncipe de Gales, localizada no Alasca, e que faz parte dos Estados Unidos. É a terceira maior ilha do país, atrás apenas do Havaí e Kodiak.



Falar sobre a defesa dos direitos dos animais e sua verdadeira proteção envolve não apenas cuidar de cães e gatos, mas de todos os bichos que passam necessidades ou se encontram em apuros.

No Brasil, por exemplo, existem muitos animais silvestres que precisam, constantemente, de ajuda, principalmente nas cidades mais próximas às florestas e reservas ambientais.

São infinitas espécies que precisam de proteção, para que não sejam extintas nem precisem ver sua população ou seu hábitat sumirem completamente. Um caso similar aconteceu na Ilha do Príncipe de Gales que, apesar do nome, pertence aos Estados Unidos e fica no Alasca. Uma orca de aproximadamente 6 metros de comprimento encalhou numa praia rochosa no sudeste da ilha, chamando a atenção da população local.


A Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (Noaa) foi chamada pelos moradores da região que encontraram o animal e não sabiam o que fazer. Segundo reportagem do Anchorage Daily News, a porta-voz Julia Speegle autorizou a população a bombear água na orca, que estava sob forte estresse, totalmente impaciente com o ocorrido.

reprodução Twitter/ @nielson_tara

A usuária do Twitter Tara Neilson compartilhou fotos da orca, também chamada de baleia assassina, por conta do filme de suspense de 1977. Quem estava no local era sua sobrinha, ávida protetora dos animais, que fez questão de auxiliar a Guarda Costeira e a Noaa no que pudesse para garantir a integridade e a saúde do animal.

Muitos moradores carregavam baldes d’água, que jogavam ao longo do corpo da orca, fazendo com que permanecesse úmida. As orcas são um tipo de golfinho que, assim como as baleias, precisam se manter úmidas para que a temperatura corporal não se eleve demasiadamente.


Como a maioria dos mamíferos, as orcas precisam manter a temperatura corporal em aproximadamente 37°C, mas como enfrentam o fundo do oceano, cruzando águas extremamente geladas, possuem espessa camada de gordura, o que faz com que a temperatura se eleve rapidamente quando ficam encalhadas.

reprodução Twitter/ @nielson_tara

O caso é sério. Baleias, orcas e golfinhos, quando sofrem hipertermia, podem ficar desidratados, ter convulsões, lesões internas e morrer rapidamente. Por isso é tão importante manter esses grandes mamíferos úmidos, para que consigam dissipar um pouco do calor do sol.

Muitas pessoas resolveram ajudar, sensibilizadas com aquele momento tão complexo para o animal preso nas rochas da praia, mas as autoridades locais demonstraram receio, acreditando que a orca poderia atacá-las.


Por volta das 15h, a maré subiu o suficiente para que ela, finalmente, conseguisse se desprender das pedras. Os soldados e oficiais que acompanhavam o caso relataram que ela estava um pouco lenta quando conseguiu voltar para o mar, vagando um pouco, antes de conseguir nadar para longe.

reprodução Twitter/ @nielson_tara

Um grupo de biólogos da Colúmbia Britânica chamado Bay Cetology identificou a orca como “T146D”, um animal de apenas 13 anos, que faz parte de uma população transitória, vista pela última vez no dia 3 de julho no arquipélago Haida Gwaii. A Noaa não confirmou se é o mesmo animal e qual sua idade.


Casal pula em rio para salvar filhos e os dois morrem afogados, no MA

Artigo Anterior

Menino que venceu câncer abre mão de aniversário e doa mais de 4 mil brinquedos a crianças internadas

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.