Por que a felicidade corre de mim?

5min. de leitura

Para começar, é fato que a felicidade não esteja correndo de você.



Mais fácil é acreditar que você esteja se desviando da própria felicidade.

Por que digo isso? Se você observar com mais atenção os acontecimentos à sua volta, o resultado que tem recebido dos seus esforços, das presenças com quem convive, do seu comportamento, relacionamento, visão de mundo, espiritualidade, tudo, aí você irá entender que você mesma é que está se desviando da felicidade.

Ela está aí, está aí para você e para todas as pessoas no mundo, no entanto, algumas a recebem; outras a ignoram completamente. Talvez você seja uma dessas pessoas que a ignoram. Muitas de nós nem mesmo sabemos o que é essa tal felicidade, e tudo que fazemos é esperar por ela e compará-la a coisas, situações e pessoas.


Deixamos nossa felicidade depender de tudo, de cada mísero detalhe de algo que ainda não tenhamos conquistado. Um exemplo é você dizer que só será feliz quando tiver conquistado o emprego dos seus sonhos ou quando tiver namorando a pessoa da qual é afim, ou quando conquistar o corpo dos seus sonhos, sua casa, seu diploma, seu reconhecimento, sua fama, seus filhos.

Só serei feliz quando…

Você pode dizer: eu só serei feliz quando tiver meus filhos! Daí o tempo passa e você os tem. São lindos, saudáveis e fofos, como toda criança. Naquele momento, você se considera e se diz feliz mas, passam-se alguns meses e toda a agonia recomeça, o vazio retorna e não há uma coisinha incrível que seu filho faça que a deixe feliz novamente.

Você conquistou o emprego dos sonhos, sua carreira progrediu, você é a mais notada e reconhecida funcionária da empresa! Está radiante! Diz que está feliz, naquele momento. Logo mais, você começa a ansiar pelo cargo de diretora, depois vice presidente e presidente da empresa. Sonha alto e conquista! Mas e a felicidade que não está lá?


Sempre que ousamos comparar a felicidade com coisas, pessoas, situações, tendemos a cair no mesmo momento em que implorávamos por ela, por nunca estarmos de fato satisfeitas.

Se você hoje diz que não a encontra, que ela corre de você e que nunca chega, é porque, com certeza, você a está associando a coisas que agora você não tem e gostaria de ter. Se você aceitasse que a felicidade nada mais é que um estado de espírito que não é alterado por fases da vida, entenderia que somos todos capazes de ser felizes, mesmo longe de tudo o que um dia sonhamos em conquistar. Entenderia que, para sermos felizes, só precisamos do “estar bem” e nada mais que isso.

Pode ser que você seja uma miserável vivendo em situações com muita dificuldade, mas que agradece a Deus todos os dias pelo alimento na mesa, pelos filhos com saúde, por ainda respirar e pela vida, que é tão maravilhosa com esse mundo lindo, cheio de flores, árvores verdinhas e pores do sol.

Isso não é romantizar, caso você esteja pensando assim. Estar numa situação difícil e ainda assim reconhecer a beleza da vida não é romantizar, é viver em harmonia com tudo e ser feliz.

Diga-me: quantas pessoas você já viu por aí cheias de fortuna e vazias de felicidade? Muitas, né?

O que você sente, quando ganha um prêmio, quando conquista uma pessoa, quando realiza algo, é alegria e, como tal, passa! Precisamos todos aprender a sentir a felicidade e compreender que ela independe do nosso estado financeiro, amoroso, social etc. Quem é feliz o é na dificuldade, nas intempéries, na escuridão de dias tenebrosos.

A felicidade não corre de você, jamais, ela fica ali, bem pertinho, esperando que você a reconheça, a receba e não a deixe mais.

 

Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: Andrey Ugadchikov/123RF Imagens.

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.