Relacionamentos

Por que eu ainda estou solteira?

Tenho muitas amigas lindas, interessantes e… solteiraças. Com exceção das que estão sozinhas porque no momento querem estar sozinhas, as que restam tão a fim de encontrar alguém bacana e não conseguem. Mas por que não conseguem, eu sempre me pergunto. E aí, pensando nelas, resolvi listar seis motivos, um deles pode ser o seu.



 1. Talvez você não esteja pronta pra se relacionar.

Muita gente acha que quer namorar, que não quer ficar sozinha, só que age de maneira super egoísta e tem a maior dificuldade de aceitar o outro como ele é. Relacionamento é pensar a dois. O outro vai ter defeitos, qualidades, manias e se você não está disposta a aguentar nada, realmente tem que namorar o Netflix. Eu não falo de ser permissiva, em vez de colocar suas vontades e personalidade, mas a gente tem que aprender a compreender a pessoa que está ao nosso lado. Ela não cresceu na mesma família que você, não sofreu os mesmos traumas e não ganhou uma bicicleta Ceci de aniversário; portanto as experiências, que são o que fazem cada um ser diferente, transformaram o outro em alguém que talvez você a princípio não entenda, mas precisa estar disposta a pelo menos se tentar descobrir. Relacionamento é só a tentativa de ficar junto. Ninguém é obrigado a estar com ninguém, você está porque quer. Pode sair fora a qualquer momento. Beijo no ombro.



2. O desespero está carimbado na sua testa.

Tem uma galera querendo namorar acima de qualquer coisa e acaba espantando todo mundo, assim que, no primeiro encontro, deixa bem claro que já estão pensando no bolo do casamento (isso às vezes nem é dito, mas a gente saca, né?). Meu Deus, calma. Pare e pense, assim que conhecer alguém interessante: quem é essa pessoa? O que ela tem de legal? Eu quero sair com ela amanhã de novo porque me faz sorrir ou porque pode ser o homem da minha vida (oi?). Não sai por aí transformando qualquer date em um namorado. Pense que é só alguém bacana para conhecer. Não projete nada. Não espere nada além de curtir momentos legais. O que acontece depois é o resultado de afinidades. Se a pessoa sumiu, bom pra você. Se ficou, sorte dela. Você já viveu a situação de sair com alguém que mal te conhecia e que já queria te apresentar pra mãe? E você ficou assustada tipo “nem sei se eu quero ver esse cara de novo e ele falando da mãe, da vó, da viagem de lua-de-mel (Socorro!) – é a mesma coisa.


3. Você idealiza os homens.


Ele tem que abrir a porta. Ele tem que gostar de Woody Allen. Ele tem que já ter lido qualquer coisa do Rubem Fonseca. Ele tem que curtir de rock. Ele tem que saber dirigir. Não pode votar na Dilma. Ele tem que morar sozinho. Ele precisa falar três línguas. Ter um emprego bom. Ser educado, simpático e generoso. Ai, cansei. Imagina se todo cara com quem você sai também espera que você seja delicada como a mãe dele, entenda de história da arte, goste de Saturday Night Live e saiba economizar dinheiro? O mundo ia ser um coletivo de gente só.


4. Você compara os novos ao ex.

Se você riu é porque faz isso ou conhece uma dúzia de mulheres que faz. Como eu já disse, o mais bacana de existir é se sentir bem com as suas diferenças, enquanto você ficar comparando todos os pretendentes com o ex, você VAI ficar sozinha e o pior: presa à lembrança de alguém com quem você nem está. Beleza, seu ex cuidava de você e o outro já é mais desligado? Mas ele sempre te compra a cerveja que você gosta quando vai ao supermercado (tá, meu bem?). Focar no que ele tem de legal e único: ponto pra vocês.



5. Você não tem nada para doar.

Uma vez eu fui a um casamento em que o padre disse “antes de pensarmos no que queremos do outro, paremos pra pensar no que temos para oferecer ao outro.” Cara, isso mudou a minha vida, porque até então, eu era uma solteira que achava que estava querendo um compromisso sério, mas quando eu parei pra pensar no que eu tinha pra oferecer, sério, eu tinha nada. Eu não era nem legal comigo, como eu ia me relacionar assim? Depois desse clique, não comecei a namorar no dia seguinte, mas entrei num processo de amadurecimento, autoconhecimento, tipo uma preparação para conseguir deixar alguém entrar na minha vida um dia. Conhecer a si mesmo é a melhor maneira de amadurecer e ficar bem, sozinha ou a dois.



6. Você atrai um padrão de pessoa.

Conhece alguém que vive reclamando que só aparece traste na vida dela – gente comprometida, enrolada, mentirosa, imatura, filha da puta? Aí a fia, quando conhece alguém novo é do mesmo jeito do antigo, só muda o nome do bar que frequenta. Alô! Por isso, parar e pensar na condução da sua vida é tão importante; refletir mesmo, destrinchar suas atitudes, pensar nos porquês. A gente tem uma tendência a ouvir os amigos daquele jeito que, cinco segundos depois, parece que a conversa evaporou (e provavelmente era o quinquagésimo alerta do amigo dizendo, mano, você tá repetindo o erro, só você não vê). To farta de ouvir “só me aparece homem casado”. Heim? Se isso é um problema, pare agora de dar bola pra homem casado, ou pense se esse seu comportamento não é um alerta inconsciente para outro problema: você, por algum motivo, não quer se relacionar com ninguém (e descubra esse motivo, por favor, é pro seu bem).

Espero que essas dicas façam vocês refletirem sobre o que querem realmente. Se a vontade é curtir a vida com as amigas, sem namorado, aproveitem! E se a meta for conseguir um logo, logo, pensem sobre essas questões que coloquei e sejam felizes. Felicidade atrai felicidade.


_____

Fonte: Escrito por Priscila Nicolielo via Site

Eu não vou desistir de nós, mas

Artigo Anterior

7 dicas para você se tornar a pessoa que deseja ser

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.