Notícias

Por que o tempo passa mais rápido conforme envelhecemos? A física pode responder

Design sem nome 2021 11 01T144842.447

Os cientistas acreditam ter encontrado uma explicação para a sensação de que nossos dias na infância pareciam infindáveis.



Enquanto os dias atuais parecem voar – esta explicação está na física, dizem Adrian Bejan e colegas da Universidade Duke (EUA).

De acordo com a nova teoria, essa aparente discrepância temporal pode ser atribuída à velocidade cada vez mais lenta na qual as imagens são obtidas e processadas pelo cérebro humano à medida que o corpo envelhece.

“As pessoas costumam se surpreender com o quanto se lembram de dias que pareciam durar para sempre na juventude.”


“Não é que as experiências delas fossem muito mais profundas ou mais significativas, é que estavam sendo processadas em disparo rápido,” disse Bejan.”

O pesquisador atribui essa sensação do tempo passando mais rápido às mudanças físicas no envelhecimento do corpo humano.

À medida que teias emaranhadas de nervos e neurônios amadurecem, elas crescem em tamanho e complexidade, levando a caminhos mais longos para os sinais atravessarem. À medida que esses caminhos começam a envelhecer, eles também se degradam, dando mais resistência ao fluxo de sinais elétricos.

Esses fenômenos fazem com que a velocidade na qual novas imagens mentais são adquiridas e processadas diminua com a idade.


Isso é evidenciado pela frequência com que os olhos dos bebês se movem em comparação aos olhos dos adultos, observou Bejan – como os bebês processam imagens mais rapidamente do que os adultos, seus olhos se movem com mais frequência, adquirindo e integrando mais informações.

Interpretações do tempo

O resultado final na interpretação do pesquisador é que, como as pessoas mais velhas estão visualizando menos imagens novas no mesmo período de tempo real, parece que o tempo está passando mais rapidamente.

“A mente humana sente o tempo mudar quando as imagens percebidas mudam,” detalha Bejan. “O presente é diferente do passado porque a visão mental mudou, não porque seu relógio andou. Os dias pareciam durar mais em sua juventude porque a mente jovem recebe mais imagens durante um dia do que a mesma mente na velhice.”


A teoria foi publicada na revista European Review e aguarda as opiniões de outros especialistas em busca de outras interpretações possíveis: Se processamos menos imagens conforme envelhecemos, não seria o caso de sentirmos o mundo cada vez mais em câmera lenta?

“Fui adotada e adotei gêmeos. Espero que se sintam tão sortudos quanto eu”, diz mãe

Artigo Anterior

Últimas palavras de diretora morta acidentalmente por Alec Baldwin são reveladas

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.