POR QUE OS INTROVERTIDOS SÃO INTROVERTIDOS? PORQUE SEUS CÉREBROS SÃO DIFERENTES

Você prefere a enrolar-se e ler um livro do que ir a um evento social chamativo. Você prefere a companhia de um amigo próximo, em vez de um grupo turbulento de muitas pessoas. Mais uma vez você prefere ficar no lado seguro do que correr riscos. Isso soa familiar? Se assim for, então você é provavelmente um introvertido. Você já deve saber disso, mas o que você pode não estar ciente é que existem diferenças físicas no cérebro que fazem você preferir atividades tranquilas sobre aquelas altamente energizadas.

Estudos de Carl Jung

Foi Carl Jung, que em 1920 cunhou os termos introvertido e extrovertido. Ele fez isso para descrever tipos de personalidade contrastantes e explicar por que pessoas diferentes foram energizadas de maneiras distintas. Sua hipótese é de que os extrovertidos ganham sua energia a partir de suas interações sociais e tendem a se sentirem desconfortáveis e ansiosos quando sozinhos.

Introvertidos, por outro lado, Jung explicou, são capazes de reabastecer seus níveis de energia quando estão em ambientes silenciosos. Ao contrário de extrovertidos, eles acham a socialização e ambientes ocupados muito difícil.

Dr. Laney esclarece em seu livro, The Hidden Gifts of the Introverted que “introversão e extroversão não são preto e branco. Ninguém é completamente de uma forma ou de outra – as vezes temos que funcionar do outro lado.

por que os introvertidos2

Introversão e extroversão estão nas extremidades opostas do mesmo espectro. Todo mundo se move pelo espectro, dependendo de fatores externos e internos, no entanto, uma pessoa tende a preferir um tipo de personalidade sobre o outro.


A diferença de dopamina

A principal diferença entre os cérebros dos introvertidos e extrovertidos é a maneira como eles reagem ao neurotransmissor dopamina.

A dopamina é uma substância química liberada no cérebro. Ela dá a uma pessoa a sua motivação para atingir metas externas e receber recompensas externas. Por exemplo, a dopamina pode motivar uma pessoa a ganhar mais dinheiro, aumentar seu círculo de amigos, atrair um bom parceiro ou conseguir um papel maior no trabalho. Quando a dopamina é liberada, todos nós nos tornamos mais alertas ao nosso meio, mais falantes e mais motivados a realizar atividades que podem ser percebidas como arriscada.

Introvertidos e extrovertidos têm quantidades iguais de dopamina no cérebro, no entanto, a diferença entre estas duas categorias de pessoas é a atividade da rede de recompensa da dopamina. Essa rede é mais ativa e dinâmica nos cérebros de pessoas extrovertidas. Quando uma pessoa extrovertida antecipa um evento social, por exemplo, ela se sente bem e energizada, enquanto a introvertida vai se sentir sobrecarregada.


Acetilcolina e introvertidos

Christine Fonseca escreve em seu livro Quiet Kids: Help your introverted child succeed in an extroverted world que os introvertidos preferem confiar em um neurotransmissor chamado acetilcolina diferente.

A acetilcolina é relacionada ao prazer, assim como a dopamina, no entanto faz uma pessoa se sentir bem quando se volta para dentro. Ela dá a uma pessoa a habilidade de refletir e se concentrar apenas em uma tarefa individual por um período prolongado de tempo. Como é mais simples se voltar para dentro quando há estimulação externa limitada, introvertidos optam por um ambiente calmo.


Introvertidos preferem um lado do sistema nervoso

por que os introvertidos3

O sistema nervoso é dividido em duas partes distintas: há o lado simpático, que está relacionado com a resposta de luta, medo; e o lado parassimpático. O lado parassimpático nos permite descansar e digerir.

Quando o lado simpático é estimulado, o corpo se prepara para a ação; a adrenalina é liberada, glicose energiza os músculos e a quantidade de oxigênio no corpo aumenta. Os mecanismos de pensamento no cérebro são colocados em espera. A dopamina aumenta o estado de alerta na parte de trás do cérebro.

Quando o lado parassimpático do cérebro está engrenado; os músculos relaxam, a energia é armazenada e a comida é metabolizada. O fluxo de sangue e o estado de alerta na parte da frente do cérebro aumentam, conforme a acetilcolina é liberada.

Embora extrovertidos e introvertidos usem ambos os lados do sistema nervoso, várias vezes introvertidos tendem a preferir usar o lado parassimpático. Isso permite os permite terem calma e agirem de uma forma lenta e medido.


Por que os introvertidos tendem a ter excesso de pensamentos

Quando as informações do mundo externo são recebidas por um cérebro extrovertido, viajam através de um curto percurso que atravessa as áreas do cérebro onde tato, paladar, som e visão são processados.

Quando introvertidos recebem estímulos do mundo exterior, o caminho que a informação percorre é muito mais longo. A informação passa por muitas áreas do cérebro, incluindo:

A frente da ínsula,

A área de Broca,

Os lobos frontais direito e esquerdo e,

O hipocampo esquerdo.

A ínsula é uma área envolvida com empatia, pensamento emocional e autorreflexão. A área de Broca ativa autofala e planos de discurso. O lobos planejam e selecionam ideias e ações. O hipocampo esquerdo decide quais coisas são pessoais e as coloca em memórias de longo prazo.

A longa viagem que a informação faz quando um introvertido recebe estímulos do mundo externo é a razão pela qual os introvertidos levam mais tempo para falar, reagir e tomar decisões.


Introvertidos têm mais matéria cinzenta na frente de seus cérebros

por que os introvertidos4

Um estudo publicado no Journal of Neuroscience, descobriu que os introvertidos têm massa cinzenta maior e mais grossa em seu córtex pré-frontal. O córtex pré-frontal é o local no cérebro que está ligado ao pensamento abstrato e tomada de decisão. Extrovertidos, por outro lado, têm mais matéria fina na mesma área.

O que isto significa? Isso significa que os introvertidos dedicam mais da sua energia e recursos para o pensamento abstrato, enquanto os extrovertidos têm a propensão a viver o momento.


Considerações

As coisas podem agora fazer mais sentido para você, como um introvertido. Agora você pode entender que existem diferenças físicas no cérebro que fazem você preferir atividades pacíficas e autorreflexão do que situações altamente energizadas.

___

Traduzido pela equipe de O SegredoFonte: Life Hack



Deixe seu comentário