3min. de leitura

Porque eu adoro polainas…

E assim foi com a tal da polaina. Achei a tal da polaina e parei para meditar na ideia do motivo de amar polainas!

Você já sentiu vontade de revisitar algum momento importante ou de sentir novamente uma saudosa situação já vivida em algum tempo?


Quase que sem querer vivenciamos estes momentos simples e tão significativos, recheados de boas lembranças, quando saboreamos um pedaço de bolo e lembramos de alguém especial ou sentindo o perfume, mesmo que não sabendo de onde vem, parece nos remeter a um tempo tão sublime e carregado de sensações, que fazem o dia mudar de rumo e arrancar um sorriso reconfortante, pela lembrança, mesmo que apenas por um instante.

Podemos até nos esquecer, mas nosso tempo interno corresponde a muitos eventos da natureza cíclicos, assim como as estações.

No verão, tenho uma leve impressão de que, banhados pelo sol e calor, mesmo para aqueles que não gostam de altas temperaturas tudo corresponde ao novo e ao brilho. Temos a tendência a sair mais, nos arriscar e a estar mais sociáveis.


O inverno me parece o inverso. É tempo de pausar, sentir o frio, preparamos para nos aquecer, tomando tempo para procurar e organizar acessórios de inverno, atualizar blusas e casacos. 

Em meio à procura, nós nos deparamos com recordações vivenciadas por objetos. Um casado herdado de uma tia avó, que mesmo guardado há tanto tempo, está na última moda atual, e assim foi com a tal polaina. Achei a tal polaina e parei para meditar na ideia do motivo de amar polainas!

Os objetos nos dão a chave para iniciar um caminho de caça ao tesouro interno. Tentamos ser o máximo de práticos e minimalistas, mas atente-se um pouco aos objetos que o estruturam emocionalmente.

Minha mãe usava polainas, achava lindo! Era chique! Depois foi a época de usar polainas na academia e, de algum modo, trouxe isto ao longo do tempo. Adoro polainas!

Não gostamos das coisas à toa, nós nos identificamos por também contarem a história de um tempo que pode não voltar inteiramente, mas aquece o coração lembrar que ele existiu e pode ser recontado a cada estação, a qualquer tempo, em um novo ciclo.



Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: traza / 123RF Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.