publicidade

Porque um “seja positivo” não é o melhor conselho quando você está pra baixo:

“No momento em que você aceitar os problemas que lhe foram dados, a porta se abrirá.” ~ Rumi



Eu tentei muito aplicar ideias de desenvolvimento pessoal em minha vida, e falhei grandemente.

Nenhuma afirmação era capaz de me fazer amar a mim mesma.

Quanto mais eu tentava “estar presente”, mais a minha mente queria estar em todos os lugares, ficando perdida no excesso de pensamento.


Mindfulness não funcionou para mim também. Observar meus pensamentos me fez perseguir cada um deles e analisá-los. Quando eu tentei “deixar ir”, apenas os prendi mais.

Esta foi a minha experiência lendo centenas de livros de autoajuda durante um período de dez anos. Estudei intensamente como se fosse um PhD, experimentando técnicas que vários desses livros sugeriram, mas ainda assim minha vida não estava funcionando muito bem, para dizer o mínimo.

Minha mente era uma tempestade de pensamentos e emoções. Às vezes, eu tinha ataques de pânico, que me levavam a passar horas na cama, deixando-me incapaz de trabalhar por períodos de tempo. Eu tentei várias drogas (médicas e recreativas) e outros comportamentos compulsivos em uma tentativa de superar a minha depressão que me dominava.


Através do meu trabalho como jornalista naquela época, entrevistei alguns dos meus autores favoritos sobre desenvolvimento pessoal, numa tentativa de superar os sentimentos baixos e a ansiedade que estavam arruinando minha vida. Mas pouco ajudou.

No começo, eu pensei que era apenas eu experimentando esses problemas – que havia algo de errado com a minha mente – mas quando falei com outras pessoas em um grupo de apoio que comecei a frequentar na época, percebi que muitas pessoas estavam experimentando as mesmas frustrações que eu com alguns livros, que fazem tudo soar muito fácil.

Embora elas soubessem que “deveriam” ser positivas e focar apenas no queriam, elas não conseguiam. E então, se sentiam mal consigo mesmas por não conseguirem.


Pressão de pensamento positivo

Pensamento positivo está em todos os lugares atualmente, e ainda assim não está ajudando as estatísticas de depressão – que estão aumentando.

“Seja positivo!” tornou-se a nova maneira de dizer a alguém para “se animar”. Não tem funcionado muito. É quase como se você precisasse ouvir que tem que se sentir melhor. Claro que você já sabe disso. Claro que você já ouviu isso um milhão de vezes antes. E é francamente irritante e inútil ouvir isso novamente.

Com o Instagram e outras mídias sociais, este movimento de “pensamento positivo” parece ser um novo padrão ideal de perfeição. Não basta ter o corpo “perfeito”, agora você tem que pensar perfeitamente, também.

Negar nossas emoções é um insulto à jornada do que significa ser um ser humano, e não faz nada para ajudar as pessoas a se sentirem melhor.


Porque não há problema em se sentir para baixo

Até mesmo os grandes santos e místicos não eram tão perfeitos. Eles tinham dias ruins, e não viam problemas nisso. O budismo, por exemplo, ensina nas Nobres Verdades que a dor é universal e inevitável. Claro, há uma diferença entre “sentir-se para baixo” e lidar com a depressão, mas para muitos de nós, o primeiro evolui para o segundo, porque encaramos nossos sentimentos com autojulgamento.

Ao contrário de certos “ensinamentos” duvidosos da Nova Era, esses autênticos mestres entenderam que o pensamento negativo é parte da jornada humana e que é bom sentir-se para baixo, às vezes. Eles também sabiam que uma rota rápida ao ódio por si mesmo é se cobrar excessivamente.

Sem sentirmos emoções baixas, não sentiríamos e apreciaríamos as emoções altas. E outra coisa: são os desafios que realmente evoluem os melhores tempos e trazem o melhor de nós, fortalecendo nossos músculos “mentais”.


O que fazer quando se sentir para baixo

Quando você está se sentindo para baixo, a mente corre para o excesso de pensamento, e você começa a tentar descobrir uma maneira de sair do clima. Embora essa atitude faça sentido, é exatamente ela que te mantém preso. Assim como lutar com a teia de uma aranha gigante, quanto mais você tenta escapar, mais aprisionado fica.


Sua escolha: lutar ou relaxar

Quando de mau humor, você acha que sua opção é se sentir bem ou não – ser “positivo” ou “ser negativo”. Mas não é. Suas duas escolhas são aparentemente mais limitadas: estar bem com sua situação, ou lutar contra ela.

A mente amedrontada realmente quer pensar demais, e assim, tentar “ser positivo” torna-se quase impossível. Tentar ser “positivo” é na verdade autocrítica; envia a mensagem de que você “não deve” se sentir mal. Procuramos livros que nos ajudem – sugestões para sair do nosso estado – ao longo do tempo, ancorando-nos mais profundamente na escuridão.

Em vez disso, você quer enfrentar sua situação. Então, em outras palavras, você quer seguir com a ansiedade, ao invés de lutar contra ela (e contra si mesmo).

Fazer as pazes com um lugar que você não quer estar parece ilógico, mas é um passo necessário para se mover para onde você quer estar.


Aceitando todas as partes da vida

Agora, sempre que me sinto para baixo, sei que não é o fim do mundo; faz parte da vida. Quando me sinto assim, também sei que a mudança positiva está a caminho. Eu sei que minha vida está evoluindo; que novas ideias estão a caminho.

Assim como não tenho um colapso nervoso na academia quando sinto tensão em meus músculos, eu já não desmorono quando sinto a tensão da vida chegando a mim. Eu a recebo. Aceito o processo. E me aceito mesmo quando não consigo aceitar o processo em nenhum momento. Afinal, eu sou humano.

O pensamento negativo não fará seu mundo desmoronar – muito pelo contrário. É a fonte de nossa evolução. E o primeiro passo para se sentir melhor é perceber que é parte do processo, e está tudo bem. É somente na aceitação que podemos deixar ir e passar para melhores sentimentos e experiências.


Meditação

Esqueça sobre rearranjar pensamentos; tentar peneirar o positivo do negativo. Esses truques da “nova era” não o levarão a lugar algum. Para mudar a sua vida, uma abordagem mais “séria” é necessária. E é aí que entra a meditação. É algo que tem sido provado por séculos através de todas as fés e filosofias. Em suma: funciona.

Através da meditação, chegamos ao momento presente e fomentamos uma sensação de calma interior. Não se trata de mudarmos nossos pensamentos. Trata-se de aprendermos a não nos apegarmos a eles, e diminuirmos seu poder sobre nós.

Uma vez que você aceitou exatamente onde está, mesmo com sua negatividade, uma prática regular de meditação irá torná-lo menos propenso a ser tomado por essas tempestades de negatividade. Mas se as coisas te deixarem para baixo ocasionalmente – e provavelmente te deixarão, porque essa é a jornada de ser humano – você saberá o que fazer a respeito.

Se você está sofrendo de depressão ou ansiedade, recomendo que encontre um profissional para apoiá-lo, não enfrente essa jornada sozinho.

____

Traduzido pela equipe de O Segredo – Fonte: Tiny Buddha

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.