5min. de leitura

“Precisamos aprender a não ser apenas sonhadores! Precisamos aprender a ser caçadores de sonhos!”

Somos muito maiores do que somente aquilo que podemos ver. Somos capazes de enxergar muito adiante daquilo que podemos tocar. Podemos (e devemos) sonhar.

Quão longe podemos enxergar? 5km? 20km? Não podemos ver o fundo do mar a partir do alto de uma montanha. Ou o ar que respiramos. Não podemos ver, nem nunca conheceremos, as 7 bilhões de pessoas que vivem na terra. Mas sabemos que o fundo do mar, o ar e as 7 bilhões de pessoas existem.


Somos preparados, ao longo da vida, a acreditar predominantemente naquilo que podemos ver, tocar. Mas podemos ver a lua e o sol. Não a 20km, mas a 93 milhões de km de distância. Podemos ver, também, um infinito véu de estrelas, distantes anos-luz do nosso campo visual.

Somos muito maiores do que somente aquilo que podemos ver. Somos capazes de enxergar muito adiante daquilo que podemos tocar. Podemos (e devemos) sonhar.  Nossos sonhos nos levam a lugares incríveis. Abrem portas para outros mundos. E janelas para dentro de nós mesmos… Uma viagem rumo às estrelas ou aos anéis de saturno está tão perto de um sonho, quanto a realidade pode nos levar.

“Mas precisamos aprender a não ser apenas sonhadores! Precisamos aprender a ser caçadores de sonhos!”


Trago esta pequena reflexão, para que não tenhamos medo de assumir o papel de protagonistas de nossas próprias vidas. Acredite: você é a estrela principal do espetáculo teatral da sua história. Você detém o controle das falas a serem proferidas em cada cena, da intensidade de luz que deseja emanar ao seu redor, da definição do momento em que as cortinas se abrem e daqueles em que devem permanecer fechadas.

Sonhar é uma das características que nos difere dos outros seres vivos e nos torna únicos. Para alimentar permanentemente esse ciclo essencialmente humano, precisamos aprender a desenvolver formas de materializar os nossos sonhos. 

Um dentre os possíveis caminhos consiste em estabelecer metas de curto, médio e longo prazos. As metas mais simples são exercícios de melhoria pessoal. Entenda: é preciso que sejamos pessoas continuamente melhores; assim, quando nossos sonhos se materializarem, viveremos as conquistas com mais intensidade, verdade e benevolência.

As metas de melhoria pessoal podem se enquadrar no curto prazo (exemplo: ser mais pontual, dar mais atenção a quem se ama, reservar um tempo para conversar consigo mesmo, ser gentil com desconhecidos, dentre outras); aquelas um pouco mais complexas podem ser escaladas para o médio prazo (exemplo: começar aquele curso que tanto desejamos, empreender mudanças em nós mesmos – ainda que sutis, perceber melhor a si e ao outro, dentre outras), as mais audaciosas, por sua vez, podem ficar para o longo prazo (exemplo: construir a sua própria casa ou adquiri-la junto ao mercado imobiliário, passar em um concurso público, desbravar o mundo, dentre outras).


Com planejamento e muita persistência, passamos a nos tornar caçadores de sonhos. Saímos do pólo passivo para uma postura mais ativa em relação ao que almejamos para nós mesmos.

Devemos compreender que esse planejamento não pode ser rígido e engessado; rega-se de dinamicidade, acompanhando a organicidade da vida, cujo caleidoscópio não para de girar!

(Re)comece agora mesmo o seu planejamento, entre no ritmo, persevere, aguce seus sentidos, seja criativo, molde-se quantas vezes for necessário e surpreenda-se consigo mesmo e com as inúmeras possibilidades que a vida origina, diariamente.

____________

Direitos autorais da imagem de capa: idal1981 / 123RF Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.