Priorize sempre a sua saúde mental

Nós somos muito além do que vemos no espelho, nós temos feridas invisíveis, labirintos dentro de nós mesmos, nós temos dores em várias partes da alma, as piores dores, que não podem ser remediadas como uma virose qualquer.

Fiz terapia pela primeira vez aos 29 anos, estava no meu limite, não sabia como controlar a minha mente e minhas emoções. Não estava em um quadro de depressão, mas estava em um grau de descontrole emocional preocupante.

Uma amiga me indicou e eu fui ao psicólogo, foram cinco meses de cuidado mental em uma sessão de uma hora por semana, e confesso que se eu soubesse o quão benéfico seria, teria ido muito antes.

Em cada sessão você tem a oportunidade de ouvir a si mesmo como nunca fez. O profissional nos orienta com questões que nos ajudam a percorrer um caminho dentro de nós mesmo, que farão com que nos conheçamos pela primeira vez, pensar em questões sobre a nossa vida pela primeira vez.

Terapias podem ajudar a remodelar o pensamento humano. Você ‘acha’ que consegue lidar consigo sozinho, mas não precisa fazer isso, se existe uma especialidade que pode ajudá-lo.

Um dos primeiros empecilhos para fazer terapia é o de ser caro, mas recentemente vi um vídeo bem legal no canal da psicóloga Cecília Dassi, em que ela fala sobre a possibilidade de fazer terapia gratuitamente ou com valores muito baixos, por meio do que é conhecido como atendimento social, que geralmente é realizado em igrejas de várias denominações, centros espíritas e, na maioria dos casos, os profissionais não têm vínculo religioso, apenas prestam o serviço social. Geralmente não são serviços amplamente divulgados e precisam ser pesquisados.

Coloque a sua saúde mental no topo das suas prioridades!

Muitas vezes passamos por situações em que olhamos muito para o outro, e quase nada para o nosso próprio interior. Há uma vida plena que não estamos vivendo, porque sequer sabemos algo sobre quem somos.

Falar de autoconhecimento tornou-se um tanto clichê, mas esse é um estado de conhecimento de si muito mais complexo e profundo, que se alcança após muitos tombos e fracassos. É um processo doloroso.

Quando se é metade, ou quando você está despedaçado, é quase impossível entrar em relações saudáveis, sejam elas quais forem, porque você sequer está conectado a si mesmo.

E sabe o que acontece quando você entra em relações humanas em estado lastimável? A tendência é que se desgaste emocionalmente ainda mais. As pessoas ao seu redor não conhecem o labirinto que vive em você, pensarão que você está forte ou pronto o bastante para o que for, talvez você até esteja pronto e forte, mas, ainda assim, está em condição de fragilidade emocional que requer cuidados.

Quando a nossa mente está doente, nada no mundo, nem na nossa vida, faz muito sentido, é como se estivéssemos desconectados, vivendo fragmentados.

Dizem que é notável ser solidário com o mundo, colocar-se sempre no lugar do outro, realmente é, mas também é essencial ser solidário consigo mesmo e tentar encontrar em si o lugar ideal, e conseguir ocupar o lugar que lhe cabe no mundo.

Não é egoísmo prezar por si mesmo, pela sua própria saúde mental. Procure ajuda especializada porque problemas na mente não se tratam em bares conversando com amigos, problemas na mente não se tratam em dias de culto religioso, problemas na mente se tratam com um trabalho minucioso de investigação, que só um especialista pode conduzir.

Não, não sou psicóloga, mas só eu sei o que vivi de tenebroso na minha mente e em descontrole emocional, e foi só no ato de me dar apoio que consegui me salvar.

Mas esse cuidado com a saúde mental deve ser constante, frequentemente repensado, não podemos descuidar.

É a partir da nossa capacidade mental plena que podemos ser nós mesmos, exercer o nosso papel no mundo.


Direitos autorais da imagem de capa: wallhere.com/ 38579



Deixe seu comentário