Procurar a felicidade desesperadamente pode nos deixar mais propensos à depressão, confirma estudo:

Procurar o caminho para a felicidade desesperadamente pode ser um atalho inadvertido para a ansiedade e depressão, de acordo com um estudo publicado em “Depression and Anxiety”.

A pesquisa, que se baseou na análise de uma amostra de 112 pessoas com sinais de depressão e níveis de pressão social, mostra como determinadas normas sociais comuns parecem contribuir para um comportamento depressivo significativo em pessoas que se sentem obrigadas pelo dever social de ser feliz.

“Em vez de ser uma consequência direta de uma vida bem vivida, a felicidade tornou-se um objetivo por si mesma. Os rostos sorridentes que vemos nas mídias sociais e os supostos gurus da felicidade nos bombardeiam com suas últimas dicas de gerenciamento emocional, e que reforçam a mensagem de que devemos maximizar nossas emoções positivas e evitar as negativas”, explica o psicólogo Brock Bastian.

A longo prazo, isso leva as pessoas a buscarem rotas de fuga para situações de vida completamente normais, apenas porque querem evitar sentirem-se tristes ou com raiva, e isso acaba se tornando um ciclo vicioso de evasão emocional, no qual somos forçados a ser protótipos de um ser humano superior, um organismo evoluído, que só possui sensações positivas.

Para Bastian, o vínculo direto entre esse perfeccionismo doente e a depressão é devido à forma como nos acostumamos a reprimir nossos sentimentos e tentarmos, por todos os meios, não exibir nossa vulnerabilidade.

“Então, quando uma celebridade anuncia que teve um aborto e está dedicando algum tempo para si mesma, ou um político diz adeus a sua carreira para cuidar do estresse, nós nos sentimos poderosamente relacionados”, comenta.

Claro, a maneira mais apropriada de abordar isso é através das origens do problema, e não apenas as consequências, ou seja, a depressão clínica manifestada. Bastian acredita que os programas educacionais podem realmente ter efeitos duradouros para reduzir a proliferação de males como ansiedade e depressão, tudo o que precisamos é começar a mudar o chip que nos diz que devemos ser tão felizes ou bem-sucedidos quanto as pessoas que vemos na televisão.

Todos nós merecemos explorar nossas habilidades ao máximo e tirar proveito de todas as oportunidades da vida para prosperar. No entanto, dificuldades e momentos ruins são parte do caminho, e negar a experiência pode ser ainda mais prejudicial do que aceitá-la, aprender com ela e seguir em frente.

___________

Traduzido pela equipe O Segredo – Fonte: Psy cienciaMedical Daily

Direitos autorais da imagem de capa: joseasreyes / 123RF Banco de Imagens



Deixe seu comentário