Comportamento

Professor diz aos alunos que mudança de gênero não existe, é suspenso e acusado de transfobia!

O professor de Biologia sofreu represálias por fazer o comentário com os alunos. Entenda!



Jesús Luis Barrón López, um professor de Biologia e Geologia, recentemente foi afastado das disciplinas que leciona há 25 anos por causa de um processo disciplinar, por fazer um comentário que gerou reação bastante negativa de seus alunos.

Segundo contado pelo portal espanhol OKDIARIO, Barrón começou a lecionar no instituto IES Complutense, em Madrid, em setembro de 2020. Rapidamente, ele conquistou o carinho, admiração e respeito dos alunos, mas essa realidade rapidamente mudou.

O professor começou a observar que sempre aconteciam palestras externas sobre ideologia de gênero no local, o que acredita que envolvia doutrinação e corrupção de menores. Segundo Barrón, eram usados desenhos, práticas e vídeos “obscenos”, que incomodavam os alunos e não tinham autorização dos pais.


Então, o professor falou sua opinião sobre as palestras à direção do instituto, apoiado pelos colegas de trabalho, mas afirmou que a diretora do local é influenciada pelas “ideologias feministas e de gênero”.

Em abril, Barrón pediu autorização para lecionar a temática da sexualidade nas suas aulas. Seguindo o material didático aprovado, ele ensinou aos alunos que só existem os sexos masculino e feminino, justificando sua afirmação com os cromossomos.

Ainda explicou aos alunos que, embora as pessoas transexuais possam mudar seus órgãos genitais por meio de operações, continuarão com os cromossomos de seu sexo de nascimento, acrescentando que “a ciência não conseguiu mudar isso”.

Suas declarações acarretaram polêmica. Dias após a aula, Barrón foi advertido pela diretora, porque pais discordaram do que o professor havia ensinado aos alunos e reclamaram do seu posicionamento.


Ele ainda disse que foi acusado de coisas que nunca disse, como dizer que é errado um homem beijar outro homem. O professor revelou que estava disposto a se desculpar se tivesse ofendido alguém, mas que não poderia negar as evidências científicas, afirmando que “é como se o julgassem por dizer que a Terra é redonda”.

Barrón foi mandado embora porque não era apropriado para dar aula para menores, recebeu pena de seis meses de trabalho e redução parcial do salário. Um documento assinado pelo diretor-geral de Recursos Humanos da Secretaria de Educação da Comunidade de Madrid afirma que o professor fez comentários sobre “diferentes orientações sexuais, de natureza homofóbica, racista e sexista, mostrando desprezo por grupos de diferentes naturezas”.

O professor de Biologia acredita que se trata de uma perseguição por razões ideológicas, e querem silenciá-lo, assim como outros professores que não têm uma linha de pensamento “única, imponente e totalitária das ideologias do século 21”, destaca.

Ele ainda disse que teve alunos transexuais que lhe enviaram cartas agradecendo por ser o único professor com quem poderiam falar sobre qualquer coisa. Enrique Ossorio, ministro da Educação da Comunidade de Madrid, disse que espera a fiscalização para apurar o que aconteceu e decidir se é punível ou não.


Também afirmou que qualquer doutrinação deve ser cortada e que, “na sala de aula, você deve aprender o que o currículo diz para ser aprendido”. A diretora do instituto IES Complutense publicou um comunicado em que nega que a sanção ao professor foi executada por ela, mas pela Direção-Geral de Recursos Humanos do Ministério da Educação.

Os 3 signos mais interesseiros. Eles só te procuram quando precisam de alguma coisa!

Artigo Anterior

Uma mãe de verdade se parte em mil pedaços para que seu filho esteja inteiro!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.