O Segredo

Professor obriga aluna a vendar os olhos durante aula on-line: “Quero ver se você realmente estudou”

A aluna de 15 anos, que preferiu não se identificar, disse que ficou desconfortável com a situação, como se estivesse sendo acusada de trapacear.



Desde 2020, a escola teve de se adaptar a uma nova realidade: a do ensino a distância.

Cheias de problemas, muitas crianças não conseguem acompanhar as aulas porque simplesmente não possuem equipamento apropriado, como computador, celular e/ou internet, mostrando que o ensino continua sendo para poucos.

Mas outro problema encontrado é a aplicação ou não de provas aos alunos. O método de ensino que envolve confirmar que o estudante compreendeu aquele assunto já não é mais possível, da forma como conhecíamos, já que não existe nenhum acompanhamento físico, ou seja, ninguém está de fato checando se ele possui ou não alguma anotação que possa consultar.


Pensando nisso, um professor de Verona, na Itália, pediu que sua aluna cobrisse os olhos com um lenço, porque ele queria checar se ela havia realmente estudado.

Essa “exigência” incomodou os demais alunos da aula on-line, que resolveram registrar o momento e mostrá-lo aos pais.

O professor de alemão, da escola Carlo Montanari, está passando por uma investigação, já que as imagens circularam nas redes sociais. Muitos acharam a atitude completamente humilhante, fazendo parecer que a aluna estava mentindo ou trapaceando, expondo-a na frente da turma inteira.


Segundo reportagem da Telenuovo, o professor estava aplicando uma espécie de prova oral, mas exigiu que a aluna cobrisse os olhos, pois suspeitava que tinha anotações em seu quarto, as quais pudesse consultar naquele momento, fazendo com que tirasse notas mais altas. Os colegas que estavam presentes à aula ficaram chocados com a situação e fotografaram a cena.

A imagem chegou aos advogados da família, que exigiram respostas da escola, um deles chegou a divulgar o caso nas redes sociais, o que levou a essa dimensão. A aluna afirma que, naquele momento, se sentiu muito desconfortável, como se estivesse sendo acusada publicamente de trapacear. O grupo que representa os alunos deu todo apoio à jovem e pediu que a escola definisse sua posição publicamente.

Direitos autorais: reprodução Facebook/Elvia Franco.


O diretor da instituição garantiu ao jornal que está investigando internamente, tentando esclarecer os fatos para, em seguida, compreender se será necessário aplicar alguma sanção ao professor envolvido. Por enquanto, a jovem preferiu não ser identificada, já que teme ficar ainda mais exposta.

A educação a distância (EaD) tem se mostrado controversa em vários aspectos, principalmente porque tenta aplicar um método de ensino presencial a uma estrutura completamente diferente.

Além disso, alunos mais pobres estão sem acompanhar suas aulas desde o ano passado, já que as escolas públicas não conseguem fazer com que todos acompanhem o conteúdo.


Esse último ano tem sido perdido para milhões de jovens e crianças, que tentam se adaptar às mudanças e urgências sanitárias do mundo, mas não são colocados em primeiro plano quase em momento algum. Outro aspecto muito criticado é que o professor tomou essa atitude apenas com essa jovem, mostrando certo preconceito em relação às mulheres.

O que achou da atitude do professor?

Comente abaixo e compartilhe-a nas suas redes sociais!


“Me recuso a criar homens desrespeitosos”: mãe joga todos os brinquedos do filho no lixo como punição

Artigo Anterior

Depois de cinco anos vivendo em meio à sujeira, dois cães são resgatados e ganham uma família

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.