Notícias

Professora que ensinava seguidores receitas com maconha na air fryer é presa por tráfico de drogas

Foto: Reprodução
Professoraa

A mulher tem 33 anos e trabalhava como professora temporária da Secretaria de Educação do Distrito Federal.

No Brasil, de acordo com a Lei nº 11.343/2006, para ser acusada de tráfico de drogas, uma pessoa precisa estar envolvida em algum âmbito com a importação, exportação, remetente, fabricação, venda ou transporte (mesmo que gratuitamente) matéria-prima, insumo ou produto químico destinado à preparação de drogas.

Semear, cultivar ou colher, sem autorização legal, de qualquer tipo de planta que seja considerada matéria-prima para a preparação de drogas, também é considerado tráfico. Bem como utilizar local ou bem de qualquer natureza de quem tem a propriedade, posse, administração, guarda ou vigilância, de local para tráfico ilícito de drogas.

Induzir ou oferecer drogas, com objetivo de lucro ou não, também são determinantes, e o acusado pode pegar de cinco a 15 anos de prisão, sendo menor quando não existe intuito em lucrar. Existe diferença entre aqueles que têm a única intenção de vender, e aqueles que são pegos com uma quantidade de droga para consumo próprio.

Para aqueles que usam substâncias ilícitas e acabam sendo pegos pela polícia, normalmente são submetidos a advertência sobre os efeitos das drogas, prestação de serviços à comunidade, e medida educativa de comparecimento a programa ou curso educativo. Eles também podem ser condenados a pagar uma multa, mas isso implica em ficar comprovado que não exista nenhuma relação com a venda para terceiros.

Segundo reportagem do UOL, uma professora temporária da Secretaria de Educação do Distrito Federal foi presa por tráfico de drogas, após anunciar a venda de LSD nas suas redes sociais. Ela também publicava vídeos em que ensinava seguidores a fazerem receitas com cannabis na air fryer.

O flagrante aconteceu nesta quinta-feira, dia 7, e a mulher, de 33 anos, deve responder pelo crime de tráfico de drogas. Segundo a Polícia Civil, a servidora era monitorada há cerca de um mês. A Secretaria de Educação do DF afirmou que ela foi afastada do cargo.

Na operação, batizada de “Bad Cooker” (algo como mau cozinheiro, em tradução livre), policiais da 38ª DP, de Taguatinga, cumpriram um mandado de busca e apreensão na casa da autora, situada no Riacho Fundo. Na busca foram apreendidas porções de maconha, LSD (ácido lisérgico), MDMA e uma balança de precisão.

2 Professora que ensinava seguidores receitas com maconha na air fryer e presa por trafico de drogas

Direitos autorais: Reprodução DCCP

“Foi constatado, ainda, que a autora publicava em suas redes sociais receitas de culinária canábica, ensinando seus seguidores a fazer, por exemplo, manteiga de cannabis”, afirmou a Polícia Civil do DF, em nota. “A autora, professora temporária, foi conduzida para a 38ª DP e foi autuada em flagrante delito pelo crime de tráfico de drogas”, finalizou a polícia.

Após a prisão a professora foi recolhida à carceragem da DCCP, onde permanecerá à disposição da justiça. Caso condenada, pode pegar de 5 a 15 anos de prisão. Pena prevista dentro da legislação brasileira para quem é acusado e comprovadamente trafica substâncias ilícitas. Ela estava sendo observada há mais de um mês, e os oficiais acabaram a detendo dentro de sua própria casa, já tendo constatado que tinham provas o suficiente para seguir com a acusação.

Agentes da 24ª Delegacia de Polícia deram cumprimento a mandados de busca e prisão em Ceilândia, Samambaia e Sol Nascente. A operação, denominada Espada de São Miguel, tem como objetivo desarticular um esquema de tráfico de drogas e associação para o tráfico. Ao todo, foram cumpridos dois mandados de prisão temporária, um mandado de prisão preventiva e 24 mandados de busca e apreensão domiciliar.

0 %