Notícias

“Programa do Jô” tinha Sexteto como atração fixa. Integrantes lamentam morte do apresentador

Foto: Divulgação.
sextetojosoares

Além das entrevistas histórias, o “Programa do Jô” também chamava atenção por outros detalhes.

Um deles era o Sexteto, conjunto musical formado originalmente pelos músicos Derico (sax), Bira (baixo), Miltinho (bateria), Tomati (guitarra), Chico Oliveira (trompete) e pelo maestro Osmar (teclados). O grupo era uma das atrações fixas do programa, mas a formação do grupo sofreu variações ao longo dos anos.

As brincadeiras espontâneas que o apresentador fazia com cada um dos integrantes acabou criando um divertido rol de personagens. Em 2015, os músicos Chiquinho e Tomati deixaram a atração e a banda voltou a ser um Quarteto.

“Primeiro, era um quarteto, virou um quinteto, e pouco antes de vir para a Globo virou um sexteto. As brincadeiras foram surgindo à medida que o programa foi se desenvolvendo. Então, comecei a procurar criar um personagem para cada um deles: Derico, que é o que sabe tudo; o Bira, que tem aquela gargalhada que é um presente, e assim por diante. À medida que o programa vai sendo feito, isso vai mudando”, explicou Jô ao site “Memória Globo”.

sexteto do jo

Direitos autorais: Reprodução.

Integrante do famoso grupo, o saxofonista Derico Sciotti chorou e lamentou a morte do amigo em entrevista ao “Bom dia SP”, da TV Globo.

“É muito triste. Fiquei 28 anos lá, metade da minha vida trabalhando com o Jô. Tenho 56 anos e 28 foram trabalhando com ele, que é uma pessoa incrível, foi uma espécie de um pai mesmo. Tive momentos maravilhosos com ele. Ele me ensinou tudo”, disse Sciotti.

Bira, que ganhou fama por integrar o sexteto, faleceu em dezembro de 2019 por complicações de um Acidente Vascular Cerebral (AVC). Para Derico, se o músico tivesse vivo sofreria muito com a morte de Jô.

“Ele amava o Jô e toda a produção do programa. Era uma relação de amizade sensacional. Nós gravávamos de segunda, terça e quarta. Mas o Bira ia lá todos os dias, de terno. Ficava lendo o jornal e falando com todos da produção”, lembra Derico sobre o colega.

O guitarrista Tomati publicou no seu Instagram que o céu ganhou mais uma estrela com a morte de Jô.

“O cara mais genial que convivi até hoje na vida, meu padrinho, amigo, professor, crítico, incentivador, sacana, generoso, justo, culto, divertido e amoroso. Um dia triste para a cultura do Brasil. Perdemos um pouco do riso, uma mente brilhante, humorista, comediante, apresentador, ator, músico, artista plástico, escritor, tradutor e diretor de teatro, entre seus inúmeros talentos”, escreveu ele.

O trompetista Chico Oliveira também prestou sua homenagem.

“São tantos anos juntos, com histórias inesquecíveis. O seu legado como artista é eterno, e a nossa amizade também. Muito obrigado, meu amigo Jô. Um Beijo para o Gordo”, postou.