A prudência é a inteligência dos bravos!

A prudência é um valor que muitas vezes negligenciamos ou ignoramos, porque pensamos que é insignificante.

Então, fofocar serve à função de socializar com outras pessoas e de nos divertir quando temos de discutir temas interessantes, mas não é a coisa certa a fazer. Por outro lado, muitas vezes confundimos coragem com imprudência, ignorando que a linha de prudência que os separa é muito importante.

O valente considera seus medos, o imprudente os despreza. Portanto, o valente raramente perde, e o imprudente geralmente acaba sendo uma vítima de sua percepção de baixo risco.

Todo mundo, em algum grau, gosta de falar sobre si mesmo ou sobre outros, mas às vezes acabamos passando dos limites. Assim, longe de melhorarmos a nossa capacidade de socializar, acabamos afastando as pessoas.

Quando uma pessoa é imprudente, os outros deixam de confiar nela, porque se não é respeitosa com quem critica na frente dos outros, também não será respeitosa com esses outros, quando estiverem longe.

Além disso, o imprudente muitas vezes monopoliza o grupo por causa de um grande desejo de atenção. Por trás disso, há uma forte necessidade de aprovação, que tenta reunir com comentários desnecessários.


Como são as pessoas prudentes?

As pessoas prudentes são respeitosas com os outros. Não espalham segredos, não criticam, nem fazem com que os outros se sintam desconfortáveis, sem saber para onde olhar. Pelo contrário, as pessoas prudentes tendem a ter laços muito estreitos de amizade, porque são muito confiáveis, e esse é o sentimento que elas projetam.

As pessoas que praticam a prudência não têm medo de silêncios. Não há necessidade de preencher a conversa com um monólogo supérfluo. Elas são pessoas que sabem como ouvir e respeitar o seguimento da conversa, algo que é muito importante se queremos que os outros desfrutem o tempo que passam com a gente.

Por outro lado, uma pessoa prudente é reflexiva: sabe quando tem que dizer as coisas, em que contexto e quando. Também pensa sobre as consequências que suas palavras podem ter.

Às vezes erramos e nada acontece. Errar é humano, e o importante é aprender com os erros e pensar antes de falar da próxima vez.

As pessoas prudentes também tendem a ser empáticas, o que faz com que alcancem níveis mais profundos de intimidade. Além disso, geralmente têm outros valores associados a prudência, como respeito e lealdade.


Como podemos ser pessoas mais prudentes?

Como vimos, ser prudente tem a grande vantagem de reforçar as relações sociais. Além disso, quando somos prudentes, aos olhos dos outros somos consideramos educados, respeitosos e confiáveis.

A prudência é uma habilidade que pode ser treinada, mas devemos ser consistentes e tomar medidas, de acordo com a psicóloga Patricia Ramirez. Com a prática repetida, podemos nos tornar pessoas agradáveis de se estar ao redor.

Pense se é o lugar e momento certos para contar o que precisa

Muitas vezes contamos segredos íntimos, nossos e de outras pessoas, em um contexto que não é o mais apropriado. Temos de pensar em primeiro lugar se as pessoas querem ouvir o que temos a dizer, se é relevante para a situação em que estamos, e se não é melhor guardarmos as informações para nós mesmos.

Pense se ao contar algo você estará traindo alguém

Se for contar uma intimidade de alguém ou um segredo que lhe foi confiado, pense duas vezes e tente não contar. Se você conta um segredo, os outros pensarão que você não sabe guardar segredo e nunca vão confiar em você de novo, porque você transmite uma imagem de pessoa desleal.

Pense se o que você vai dizer é muito íntimo para ser contado

Você realmente quer que outras pessoas saibam sobre suas intimidades? Há certas questões que não podem ser compartilhadas, por maior que seja a proximidade que você tem com a pessoa. Devemos saber com quem podemos ou não falar abertamente.

Pense se você tem permissão para dizer o que quer contar

Se você não tem permissão para falar sobre algo que ouviu, simplesmente não fale. Você não é o dono dessa intimidade.

Pratique a escuta ativa

Não apenas ao falar, ouvir é muito importante e todos nós gostamos de ser ouvidos. Não interrompa o outro. Ouça, depois formule perguntas.

Não opine ou dê conselhos, se não te pedirem

Isso irrita bastante. É melhor perguntar ao outro se ele quer ser aconselhado, antes de se aventurar a dar conselhos por conta própria. O que funciona para nós pode não funcionar para outra pessoa.

Não critique se não for contribuir com algo construtivo

Se a crítica não beneficia ninguém, por que criticar? Tudo oque você tem a dizer sobre outras pessoas deve acrescentar, não subtrair.

Não faça favores se depois for cobrá-los

Os favores são feitos pelo prazer de ajudar os outros, e nunca com a intenção de serem devolvidos. Não devemos esperar nada em troca, nem nos gabarmos por termos feito um favor a alguém.

Você deseja se tornar mais prudente em que? Respeito, educação, lealdade e confiança são valores complicados de monitorar, mas é nosso trabalho. Cultivar esses valores nos traz uma enorme quantidade de benefícios!

____

Traduzido pela equipe de O Segredo – Fonte: La Mente es Maravillosa



Deixe seu comentário