ColunistasRelacionamentos

Pulando fora do “pega mas não se apega”!

PULANDO FORA DO PEGA MAS NÃO SE APEGA

 Quem nunca teve um relacionamento que não deu certo? Ok. Isso pode acontecer com qualquer um. Agora, está acontecendo sempre com você?  Você entra em uma relação. Ela vai sendo construída. E então de repente, não mais do que de repente,  do nada o que tinha tudo para dar certo termina e geralmente sem explicação, ou com explicações não compreensíveis, ou então com explicações até compreensíveis porém que não fazem muito sentido?



Pois é… É chato… Realmente investir  tempo, energia, emoção, expectativas, entre tantas outras coisas que envolvem a união entre duas pessoas e isso dissolver -se aparentemente sem motivo. Pode ser bastante dolorido, especialmente se tem acontecido com certa frequência.

Existem algumas coisas que impulsionam um relacionamento saudável, como o respeito, carinho, confiança, cumplicidade, amizade e bom humor. Só que estamos em tempos onde a maioria das coisas podem ser descartadas e infelizmente as pessoas estão adquirindo o comportamento de  simplesmente também descartar as relações. Não serve? Então tchau. Próximo…

pulando-fora-do-pega-mas-nao-se-apega


Claro, ficar em uma relação nada a ver não faz sentido. Mas o descarte por comodismo, o não aprofundar-se no outro por preguiça é excesso de superficialidade.

Ninguém é perfeito, e pessoas não são celulares, computadores ou internet que vão atender todas as nossas necessidades especificas em tempo real , e caso não atendam nós compramos outro ou chutamos o moldem até que volte a funcionar. Chutar alguém da sua vida por algo que pode ser contornado, conversado ou acordado, mostra muito mais sobre a sua dificuldade em lidar com emoções do que o outro.

Ok. Se o seu plano é viver sozinho sem ter um relacionamento afetivo cúmplice e duradouro perfeito você está no caminho certo. Só que lembre-se, caso não deixe as suas intenções bem claras, as suas atitudes podem machucar o outro que não tem nada haver com a  não comunicação das suas escolhas. Está afim de só pegar sem se apegar então avisa, por respeito ao próximo.

Agora se você quer algo mais profundo, primeiro esteja disposto a interagir de verdade com o outro e principalmente, esteja disposto a interagir com você mesmo. E também deixe claro o que você espera de um relacionamento. Seja você mesmo. É melhor aceitar e mostrar o que você é de verdade do que o outro descobrir que tudo era apenas ilusão.



 Seguem 5 dicas de coaching direcionadas para relações afetivas

Autoconhecimento

Esteja bem com você mesmo para estar bem com o outro. O autoconhecimento é essencial para cultivar um relacionamento saudável. Não dá para despejar todas as neuras no outro e achar que ele vai saber resolver tudo para você. Ele pode estar do seu lado e apoiar, mas tem coisas que só você pode fazer por você mesmo e o autoconhecimento é uma delas.



Saber ouvir na essência

Escute o outro. Mas escute de verdade, inclusive o que é não verbal e que é dito através de gestos e olhares. Escutar na essência gera conexão e quando existe conexão de verdade através da mente e do coração ambos podem ser honestos.



Não julgar

Tem coisa mais chata do que ser julgado? Ter alguém que é o advogado e o juiz daquilo que você faz e acha que sabe mais sobre você do que você mesmo? Pois é… Um porre… Respeitar e compreender o outro, aceitar que ele foi criado de uma forma diferente de você, e que tem uma maneira particular de ver as coisas proporciona saúde para o relacionamento.


Não faça barraco desnecessariamente 


( ok essa colocação ” barraco” não necessariamente é uma linguagem usada no  Coaching mas achei importante colocar para ilustrar melhor a situação)

Não adianta chutar o pau da barraca e cair fora por causa de qualquer briguinha. Tente colocar-se no lugar do outro e converse de maneira tranquila e verdadeira evitando discussões, gritaria e barracos desnecessários. Colocar-se no lugar do outro pode trazer um novo ponto de vista sobre algo, e esta nova percepção pode ser até melhor do que você imaginava. Conversar é sempre uma solução.


Dar oportunidade ao outro para fazer diferente


Ressignificar não denota ignorar os problemas, mas perceber um ponto de vista diferente, dar-lhe um novo significado, absorver apenas o que é positivo e agregador.Perdoar e ser perdoado faz parte das relações. Mas perdoar de verdade sem ficar jogando na cara a cada dr o que aconteceu a dez anos atrás. Todo mundo erra então perceba o que dá para ser ressignificado e segue em frente.

“Não é o amor que sustenta um relacionamento é a forma de se relacionar que sustenta o amor!”

Depois dessas dicas achei legal compartilhar as 5 linguagens do amor identificadas pelo antropólogo Gary Chapman:


  • Palavras de afirmação:são sentenças expressas em elogios como “O jantar estava ótimo”, afirmações como“Acho que você faz isso muito bem”, e incentivos como “Vai dar tudo certo”;
  • Qualidade de tempo:é a dedicação de um tempo exclusivo, ainda que pequeno, ao companheiro. As atitudes ou dialetos como conversas, passeios, assistir TV juntos, fazem a diferença;
  • Presentes:não importa o valor financeiro, e sim o ato de presentear e surpreender;
  • Gestos de serviços:aqui o que você faz, fala mais alto do que qualquer palavra, como lavar louça, consertar a fechadura, levar o lixo para fora, etc;

  • Toque físico:o importante é saber quando, como e onde tocar a pessoa, exemplo: beijos, abraços, cutucões, relações sexuais, entre outros.

Fez sentido para você? – Desejo tudo de melhor para todos vocês!

Com carinho,

Marina Cervini

A sorte de encontrar uma mulher sensacional!

Artigo Anterior

A gente se cansa de ser usado!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.