4min. de leitura

Quando a borboleta rompe o casulo

Escolhi falar sobre este tema, por achar o mais radical encontrado nos insetos, além de também ser o mais oriental comparando-o com a nossa vida. Ovo, larva, casulo.

O casulo poderia até ser equiparado a um feto abandonado, já que para se transformar numa borboleta a lagarta tem que construir seu próprio casulo. Ela não tem a proteção de um colo, como podemos ver em outros animais ou humanos. Ela não pega emprestado, não nasce com uma protoconcha, como caracóis e caramujos, não compra um novo ou mesmo pede para outra lagarta arquitetar uma para ela.


Elas se viram sozinhas. Não são como pessoas insatisfeitas e que podem até querer dar um passo adiante, mudar de vida, mas desconhecem que não é possível fazer sem ter a coragem, atitude e saber agir.

Ficar com pensamentos vagos, achando que um dia vão encontrar a fórmula perfeita, que algo vai cair do espaço, é iludir-se.

Uma lagarta não sabe o futuro. Qual será sua cor, forma, o tamanho de suas asas, se vai decolar ou não. Mas mesmo assim ela não desiste e constrói o seu casulo. Ela não tem medo de errar, pois ela arrisca.

Ela não tem medo de fazer o que é seguro, o que a sociedade dita como certo, pois ela tem a sua decisão, que ela precisa evoluir. Para mim, o inseto mais lindo é a borboleta, assim como a lição de, a partir de um ovo nascer algo tão magnífico, é mágico. A futura borboleta é corajosa, ela enfrenta o mundo e seus predadores, pois se não saísse do casulo, viveria tranquilamente protegida, sem mudanças, sendo sempre uma lagarta.


Faz-se necessário aceitar que as mudanças em nossas vidas não acontecem de uma hora para outra. Ocorre um processo interior que também interage com o exterior para ocorrer pequenas, médias ou grandes transformações. O tempo dessa jornada é primordial para conhecermos para onde o vento nos leva ou se por nós mesmo, preferiríamos mudar de direção. O que pode ser certo e conservador para alguns parâmetros sociais e mentes, pode ser tão natural, moderno, evolutivo, desafiador para o eu interior de alguém que precisa se descobrir e descobrir que o universo não se resume ali, na sua atual vida.

As mudanças surgem pela necessidade de transformações que sopram de dentro da gente e nos dão a coragem de tomar atitudes que podem causar os mais diversos tipos de situações e pensamentos, cabendo aos outros entenderem ou não.

Mas só se liberta quem sabe o que viveu dentro de um casulo e decidiu que um dia poderia voar.



Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123rf / carmenrieb





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.