ColunistasO SegredoReflexão

Quando a desilusão pode ser doce…

O que gera uma desilusão? Esperar? Sim, esperar algo de alguma circunstância ou de alguém, mas acredito que mais do que isso, a desilusão é uma enfermidade proveniente dos sonhos.



Os sonhos geram desilusões ao mesmo tempo em que nos impulsionam a viver.

Quando eu sonho com uma casa no campo, com um lago azul, com o barulho dos pássaros, com árvores frutíferas, com todos os livros mais queridos como única companhia… a realidade me sacode e diz: Ei, você está aqui, na cidade, rodeada por pessoas, não há o teu querido silêncio a todo momento, não há tempo para que leia e releia teus queridos livros a todo momento… Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhh! Essa é uma desilusão que não posso rebater, me esbarro com ela todos os dias, como aquelas pessoas que vemos, não são amigas, mas que educadamente precisamos cumprimentar.

Eu cumprimento a desilusão todos os dias, mas às vezes, ela não é simplesmente educada como eu, tem momentos em que ela surge com a pretensão cruel de me agredir e… consegue.


Não falo apenas das clichês desilusões amorosas, aliás, preciso parabenizar a desilusão pelo seu competente trabalho…sempre. (risos)

Falo dos momentos em que a desilusão me faz sentir dor ou suspirar de pesar em momentos inesperados.

É muito triste olhar em volta e caçar motivos para sorrir e se motivar como se estivesse em alguma lagoa suja tentando encontrar pedras preciosas. É triste enxergar tantas pessoas com tantas preocupações cegas e inúteis quando a maior recompensa dessas preocupações jaz embaixo da terra junto a milhares de pessoas. É triste muitas vezes usar os cinco sentidos em prol… de sentir. Sentir leva à desilusão, a desilusão faz sangrar… Dói.

Mas e se eu não pudesse sentir? E se eu eu não conseguisse sangrar e saber o que é a dor? E se eu não sofresse jamais de desilusões amorosas, como poderia acreditar no que é de fato, o amor? Se eu não caísse de um precipício e me quebrasse em pedaços, como saberia o que é a loucura da paixão? Se eu não me frustrasse, como poderia ser surpreendida por algo encantador?


A desilusão machuca, mas leva a acreditar! A desilusão é cruel, mas depois que a atravessamos, percebemos o quanto pode ser doce o caminho além de sua amargura.

Hoje eu posso enxergar a desilusão com doçura, já não passo por ela de cabeça baixa entoando um cumprimento por obrigação. Hoje posso dizer: Olá doce e irônica desilusão!

Não há nada pior que não possa se tornar o melhor!

Artigo Anterior

Ela queria mais do que sua amizade…

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.