QUANDO A EDUCAÇÃO DÓI: MÃES TÓXICAS

Falamos de mães tóxicas. No entanto, é bom lembrar que também há pais e avós tóxicos.

Porém, o papel da mãe é quase sempre mais forte na educação dos filhos. É ela que define o vínculo de carinho e afeto com essa criança, que ao passar do tempo irá sair de seus braços e seguir no mundo sabendo que tem uma mãe que a ama, tendo sempre a referência de amor incondicional, mas saudável com o qual amadureceu de forma inteligente.

“As mães tóxicas oferecem um amor imaturo à seus filhos. Projetam sobre eles suas inseguranças para se reafirmarem, e, assim, possuírem um maior controle sobre suas vidas e a de seus filhos.”


O que está por trás da personalidade das mães tóxicas?

MAES TOXICAS 1

Por mais que soe estranho, por trás do comportamento de uma mãe tóxica está o amor. Agora, todos sabemos que quando se fala de amor, há dois lados da mesma moeda: essa dimensão capaz de promover o crescimento pessoal do indivíduo, quer ao nível de parceiro ou nível familiar, ou o lado mais tóxico onde um amor egoísta e interessado é exercido, por vezes sufocante, que pode ser completamente destrutivo.


Vamos ver as dimensões psicológica das mães tóxicas:

1. Personalidade insegura

Às vezes, possuem uma nítida falta de autoestima e autossuficiência que as obriga a ver em seus filhos “a tábua de salvação”, a qual devem modelar e controlar para ter ao seu lado, para cobrir suas deficiências.

Ao verem suas as crianças começando a ser autônomas, e gradualmente independentes, capazes de fazer suas vidas, elas sentem uma grande ansiedade, porque temem, acima de tudo, ficarem sozinhas. Portanto, são capazes de implantar “truques hábeis” para continuar as mantendo perto, projetando nelas, desde o início, sua própria indignidade, sua própria insegurança.

MÂES-TOXICAS-2 (1)


2. Obcessão por controle

O hábito de controlarem todos os aspectos de suas vidas, também tentam praticar na vida de seus filhos. Elas não conseguem ver os limites. Para elas, controle é sinônimo de segurança, algo que as faz se sentirem bem.

A parte complicada desta situação é que muitas vezes elas exercem controle pensando estarem fazendo o bem, demonstrando amor.

O controle é o pior ato de superproteção. Com ele você evita que as crianças sejam independentes, capazes e corajosas. E impede que aprendam com seus erros.


3. A projeção dos desejos não realizados

“Quero que tenha o que eu não tive”, “Não quero que cometa os mesmos erros que eu”, “Quero que se torne o que eu não consegui me tornar.”

Às vezes as mães tóxicas projetam em seus filhos os desejos não realizados de seus próprios passados, sem perguntar se é isso que seus filhos desejam, sem dar-lhes a opção de escolher. Pensam que assim estão mostrando amor incondicional, quando, na realidade, demonstram um falso amor. Um interesse amoroso.


Como enfrentamos uma mãe ou qualquer familiar tóxico?

mães-tóxicas3

Esteja consciente de que tem de quebrar o ciclo de toxicidade. Você tem vivido muito tempo nele, sabe as feridas que te deixou. Mas agora entenda que você precisa para abrir suas asas para ser você mesmo. Para ser feliz. Será custoso, mas você deve começar a dizer “não” para colocar suas necessidades em voz alta e aumentar suas próprias paredes, aquelas que ninguém pode ultrapassar.

Quebrar esse ciclo de toxicidade podem causar danos. Às vezes, dizer a verdade pode parecer prejudicial, mas é uma necessidade vital. Isso significa deixar claro o que você permite e o que não permite. Você não quer causar nenhum dano, mas também não quer mais sofrer, isso deve ser bem claro em sua mente.

Reconheça a manipulação. Às vezes é tão sutil que não nos damos conta, pois pode ser qualquer palavra, qualquer comportamento. E, acima de tudo, não caia na “vitimização”, um recurso muito utilizado pelas mães e pessoas tóxicas. Elas se mostram como mais dolorosas, mais feridas quando, na realidade, o mais ferido é você. Sempre mantenha isso em mente.

___________

Traduzido pela equipe de O Segredo

Texto original de Valeria Sabater publicado em: La Mente es Maravillosa



Deixe seu comentário