Quando a vida acontece…



Há uns dias, comprei lápis de cor e caderno de desenho. Não sei desenhar, mas isso realmente não importa. O que importa é o que eu sinto quando desenho. O que importa é quem eu me torno quando eu desenho. O que importa é o que eu penso enquanto desenho.
Até hoje o caderno e o lápis de cor eram apenas a promessa de retomar esse velho hábito: relaxar, imaginar e deixar a minha criatividade rolar enquanto os traços, as linhas e as cores bagunçadas vão dando lugar a um quadro abstrato, porém harmônico.
Quando comecei a desenhar, não tinha a menor noção do que faria. Apenas deixei o lápis deslizar com formas que me agradavam. Espirais, ondulações, cortes verticais, horizontais e diagonais.
Quando terminei os traços, tudo parecia tão sem sentido e desordenado que parecia que, por mais que eu organizasse, colorisse, aquilo nunca teria uma boa aparência ou ainda que nunca haveria como desatar todos os nós que aquelas linhas haviam criado.
Parecia que não tinha jeito. Mas, eu ainda acreditava que largar aquele rascunho estranho, feio e inacabado não era a melhor solução. Tudo aquilo podia ter um grande potencial, podia sofrer a mágica da transformação. Eu precisava ir até o fim.
Então, as linhas a lápis ganharam um traço mais firme em hidrocor. Cada pedacinho começou a ficar mais delimitado e já ganhava um sentido um pouco melhor: eram partes de um todo.
Depois cada pedacinho delimitado ganhou uma cor diferente, vibrante, forte. E foram harmonizando toda aquela bagunça, parecendo que desde o começo tinham sido minuciosamente planejados.
Enquanto fazia o desenho e o coloria não pude deixar de pensar em como aquilo era uma metáfora da vida.
Quantas vezes não parece que estamos vivendo uma vida sem sentido e bagunçada? Parecendo um grande emaranhado sem qualquer perspectiva?
Mas, o importante é nunca desistirmos e acreditarmos. Irmos em frente. Sem certeza alguma de onde aquilo acabará, mas sem perder a esperança e a alegria de colorir cada pequeno momento que vivemos.
No final, teremos a grata surpresa de olhar e ver que nossa vida é um grande e belo quadro colorido, com pedacinhos harmônicos e importantes que integram o todo.
 E que apesar de nunca termos pensado que a vida poderia ser tão linda, no final das contas, conseguimos perceber que tudo é uma questão de perspectiva.
A vida é aquilo que acontece a cada rabisco, a cada esboço, a cada cor…
E, enquanto eu desenhava e pensava tudo isso, eu sorri. Um riso de alívio: porque os piores emaranhados nada mais são do que o esboço de um lindo e grande quadro, chamado vida.
blogger-image-2007449297
Fonte: Escrito por Priscila Roma via Priscilaroma.com.br







Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.