Quando admitimos que somos os criadores da nossa realidade, saímos da cadeira do vitimismo

Admitir que estamos no controle é um ato de coragem, porque quando o fazemos, já não podemos mais culpar nada, nem ninguém, por nossos erros. 

Quando admitimos que somos os criadores da nossa realidade, somos forçados a sair da cadeira do vitimismo.

Escolha e consequência. Esse é um dos princípios que nos ajudam a resolver a equação da vida. Escolhas! Vamos bater nessa tecla até as pessoas compreenderem que elas estão atraindo a todo momento, através de suas escolhas, tudo o que acontece na vida delas. De bom e de ruim.

Sim, é isso mesmo. A maneira como você se vê, comporta e pensa determina o que você atrai. Goste ou não disso, essa é a verdade. 

Chame de lei da atração, lei do retorno, superstição, física quântica ou seja lá o que você quiser. Só não ignore o poder que você tem de fazer e realizar tudo, absolutamente tudo, o que quiser.

Assim como você também tem o poder de não fazer nada, de viver na zona de conforto e de se contentar com uma vida estagnada.

Por isso, não romantize os momentos bons. Não dramatize os momentos ruins. Vamos chorar e vamos sorrir.

Estaremos sempre nos equilibrando na corda bamba da vida. Então é melhor fazer isso com leveza para que a gente não caia e se machuque, toda vez que um lado ou outro pesar mais.

Seja o mestre da sua mente. Tente controlar as suas emoções, as suas reações, porque a maneira como você decide posicionar-se diante disso tudo, diz muito sobre quem você realmente é.

Posso não saber muito, mas de uma coisa eu tenho certeza: você não é, nunca foi e nunca será vítima da sua história. Muito pelo contrário, você é o autor, o editor, e o juiz que bate o martelo e determina a sentença!

Então descomplique, suavize e retome (ou tome) o controle dessa experiência sobrenatural, única e maravilhosa, que gostamos de chamar de vida. 


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: lightpoet / 123RF Imagens



Deixe seu comentário