3min. de leitura

QUANDO EU NOTEI, JÁ ERA AMOR…

Às vezes me questiono o motivo da gente ter se encontrado naquele dia. Você se sentou ao meu lado e em poucos segundos compartilhávamos risadas e olhares. Sua insegurança  e vergonha foram substituídas por animação e alegria.


Foram poucas horas, mas tornou-se o necessário para gostar de você. Confesso que não queria ninguém e muito menos algo clichê. Só não queria estragar nosso momento de uma possível amizade com um beijo que talvez não levasse a nada.

O problema surgiu quando no dia seguinte eu te conheci mais ainda e a vontade de te beijar me dominou. Como diz Jorge e Matheus: “Quando eu notei já era amor eu não imaginava.” E eu nem sonhava que o amor iria surgir na minha vida  e me presentear com você.

Hoje eu só agradeço por você estar aqui e por ser tudo recíproco. Agradeço por sermos tão parecidas, por termos as mesmas loucuras, por compartilharmos piadas sem graça, por cantarmos músicas escrotas, por ter “momentos fofura” de uma maneira um pouco peculiar, por sermos amigas, colegas, namoradas, companheiras, como em box de cd contendo as melhores músicas, e, por nos amarmos e nos respeitarmos.


Hoje eu encontrei a peça do meu quebra-cabeça que estava todo bagunçado antes de você chegar. Você conseguiu encaixar cada pecinha com uma pecinha sua e assim evoluímos para um belo quadro, meio estranho, mas com um valor imensurável.

Tenho tantos sonhos, metas e vontades para serem realizados ao seu lado que as vezes me perco nas minhas viagens diárias. Te quero tanto de uma forma que ninguém jamais conseguiu fazer eu querer, e eu te amo da maneira mais simples e descomplicada que um dia acreditei que poderia amar.






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.