ColunistasAmor

Quando há amor em nosso coração, não há adversidade que o torne pedra…

quando há amor

Quando semeamos bondade, alimentamos a capacidade de ter amor em nosso coração e, assim, não há adversidade que seja capaz de transformar o nosso coração em pedra.



A gente fica bem quando faz o bem, a gente aprende a amar quando ama, a gente mostra que é ser humano quando se comporta como um. Por isso, somos tudo aquilo que plantamos. A nossa essência não desvenda o nosso embrulho, mas sustenta o nosso eu interior e o reflete em nossos atos.

Dessa forma, a semente que espalhamos é a mesma que colhemos e, quanto a isso, não há teoria que prove o contrário.  Quando semeamos bondade, alimentamos a capacidade de ter amor em nosso coração e, assim, não há adversidade que seja capaz de transformar o nosso coração em pedra. A essência que habita em nós nunca poderá ser corrompida por coisas menores que não têm significado algum…

Mas existem escolhas a serem feitas: umas pessoas escolhem ser amor e outras semear a dor.


Por isso, certas pessoas são tão ingênuas que tornam os pilares de sua vida somente aquilo que lhes esmaga a alma: alimentam-se de fofocas, de calúnias, de falar mal da vida alheia, de fazer o mal para o próximo e, quando sentem um vazio dentro de si, fingem que não sabem o porquê, fazem-se de ingênuas, mas não o são quando precisam atacar o outro de todas as maneiras e com todas as armas possíveis que tenham em mãos…

Dessa maneira, mesmo que problemas surjam, pessoas falsas apareçam e coisas ruins aconteçam, nada será capaz de mudar a minha capacidade de ter um coração alimentado de amor porque é isso que me torna leve e me deixa em paz, apesar de tudo ou todos que querem transformar o meu coração em pedra.

Quando optamos por ter um coração envolto de amor é porque temos algo bem maior que sustenta essa nossa escolha: a fé, o grande fruto que planta em nós o amor que Deus quer que tenhamos e sejamos.

Quando temos o coração pleno de amor, também somos exigentes, não é qualquer coisa que nos toca e nem qualquer coisa que nos tira do sério. Para nós, tocar a pele é muito raso, profundidade é aquilo que toca a alma. Por isso, só nos contentamos com aquilo que alimenta a nossa alma e que lapida a nossa essência. Assim, fazemos o possível para alimentar a alma alheia e conseguir tocar corações.


Eis aí a diferença entre o que é passageiro e aquilo que permanece. Quando plantamos o bem estamos semeando uma semente que dará frutos eternos porque isso alimenta a nossa alma, mas quando se opta por semear o mal, só nos destruímos e matamos a nossa capacidade de ser feliz.

As maldades ofuscam a vida das pessoas por um curto prazo, já a bondade costuma ficar guardada para sempre no coração alheio. Por isso, é sempre bom que tenhamos maturidade o suficiente para saber escolher e nos responsabilizarmos por nossas escolhas, porque nada é por acaso, tudo o que semeamos frutifica em nossa vida…

Que sejamos sábios o bastante para escolher cultivar um coração de amor que mal algum poderá atingir, porque é isso o que nos torna diferentes em um mundo onde as pessoas têm optado, cada vez mais, por ter um coração de pedra.

O amor amolece almas e marca vidas, já a pedra só é um emperro para que não consigamos enxergar que o que torna a vida mais bela são os corações “amor” e não os corações “pedra”…



Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: teksomolika / 123RF Imagens


Nunca minta para uma mulher sábia!

Artigo Anterior

5 pessoas venenosas das quais você precisa se libertar

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.