Quando não existe a palavrinha mágica “reciprocidade”, você precisa bater a porta urgentemente

Sabe aquele relacionamento morno, que deixa a porta entreaberta, não sabe se vai ou se fica?

Quem nunca teve essa experiência? Fala sério!

A sensação de ficar com a porta entreaberta gera uma angústia, uma insegurança enorme e parece que não vai passar.

Aí a gente amadurece, toma umas portadas na cara e aprende a bater a porta! Uau! Isso é mesmo libertador!

Somos criados para acreditar no amor genuíno e em acreditar em quase todas as “desculpas” que os outros nos dão.

Então eu brinco com o dia da libertação. Bata a porta com toda a sua força, junte seus pedaços e pá!

Porque se alguém realmente quiser ficar na sua vida vai dar um jeito de pular a janela e provar que você precisa abrir a porta para ficar.

Quanto mais desejamos ficar com alguém, mesmo sabendo da lista de perfeições, imperfeições e nossas limitações, deixamos de ser quentes e nos tornamos mornos, amolecidos por aquela sensação de que tudo vai mudar.

Aliás, ninguém muda ninguém, e até por isso, eu sou a favor da aceitação das perfeições e imperfeições. Sim, depois que você estabelece uma vida com alguém, isso vai acontecer diariamente, mensalmente e, depois de um grande estágio, anualmente!

Mas aqui a questão que eu coloco é a do amor-próprio. Não guarde lugar, você pode estar desperdiçando uma enorme possibilidade de conhecer alguém que realmente queira ocupar este lugar.

Ah, eu me sinto assim, assada, arrasada, entediada, às vezes passa aquele filme na cabeça e você pensa que só queria ter um alguém.

Mas ter um alguém não significa se acomodar na vida, não, não, não. A vida requer movimento de ambos e o tempo todo. É aquela coisa que chamamos de reciprocidade.

Quando não existe essa palavrinha mágica, reciprocidade, corra! Você precisa bater a porta urgentemente e ocupar sua cabeça com outras coisas e até outras pessoas (de preferência, bons amigos).

Nós, mulheres, somos criadas para ser “cuidadoras”, mas quem é que gosta de cuidar de alguém que não se cuida?

Está esperando que o outro mude, como assim? Ah, depois de um tempo o fulano muda, depois que casar muda, depois dos filhos muda e sabe quando isso vai acontecer?

Nunca! Nunquinha! Depois de todos esses eventos da vida você vai mudar, mas o fulano não vai mudar não. É por isso que quando você estiver em um relacionamento morno, ocioso, sem graça, questione-se e veja se é isso que vai fazer você feliz pelo resto da sua vida.

Tem quem suporte? Sim, tem!

Mas também tem quem não suporte, e aí o bicho pega! Por que você vai lutar pela sua libertação de padrões pré-programados pela sociedade.

Sim, os anos passam rápido! Depois dos 18 anos, você vai olhar para trás como o pesar de décadas e mais décadas. E quando perceber já terá 28, 38, 48 etc.

Você precisa partilhar a sua vida com alguém que queira ficar e não ficar parado na porta sem saber se vai ou se fica.

Já vivi isso! Quem nunca? Já me deram as mais e mais diversas desculpas e eu fiquei em casa sem saber o que fazer. Já, também!

Só que, particularmente, eu não dei muita chance para essas pessoas, eu bati muitas portas e lacrei algumas janelas para que algumas pessoas sequer tivessem oportunidade de se aproximar.

E sabe o que aconteceu?

Nada, a pessoa tomou o famoso chá, chá de sumiço. Porque quando a porta está aberta, ou entreaberta, isso faz o outro ficar acomodado com a situação e não vai ser ele quem vai bater à sua porta! Fala sério!

A sua porta pertence exclusivamente a você. Você quem decide quem entra e quem sai da sua vida, não os outros.

Quando vejo pessoas se esforçando para ficar na vida de outras, eu me pego pensando: “será que a pessoa ainda não percebeu o quão desgastante é?”

Ficar na vida de alguém é natural, simplesmente acontece!

Vejo tantas pessoas se esforçando para manter a porta entreaberta e particularmente fico chocada, tanta gente interessante no mundo e você permite viver um relacionamento sem graça e sem vida.

Claro que se você que estiver lendo isso e estiver numa situação similar, vai achar loucura. Mas pode acreditar que não é!

A vida é feita de ciclos. Quando você é adolescente tem um padrão X, quando você amadurece, com o passar dos anos é Y, e depois dos 30 parece que a vida dá uma guinada extraordinária e entendemos que não existe conto de fadas, que a vida passou e que você adquiriu N amadurecimentos, está totalmente apta a bater portas, só não bate quem não quer!

Se você for jovem demais, talvez não consiga administrar toda essa informação, mas se ler calmamente pode se adiantar, se já não é mais tão jovem, pode repensar a sua própria vida.

Concordo plenamente com o ditado: “antes só do que mal acompanhado”.

Gente, cada um sabe quando deve bater a porta. Às vezes, ela fica entreaberta por anos e anos e um dia a pessoa acorda e decidi mudar, deixar de dar importância para quem não lhe dá a mínima.

É um estalo e pronto, está decidido quem entra e quem sai!

Por isso que eu bato na tecla do autoamor, autoconfiança, harmonia e gratidão. Porque essas pessoas também nos ensinam algo durante essa caminhada.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF/fizkes.



Deixe seu comentário