Quando o divórcio é a melhor saída…

5min. de leitura

Quando o divórcio é a melhor saída…

A dúvida nos traz muito sofrimento, e nos deixa imobilizados diante das situações, principalmente quando falamos de relacionamentos e sentimentos. Realmente, a separação entre duas pessoas que se amam, independente de que tipo de amor é esse, é algo muito delicado que nos remete aos nossos medos mais profundos: o medo de ficar só, de ser rejeitado, de nunca ser amado, de ser incompreendido, de ser excluído.



E esses sentimentos podem nos deixar escravos de uma relação desgastante e sem crescimento para o casal.

Tratarei a relação como uma terceira pessoa formada pelos dois indivíduos do relacionamento, onde quando um dos parceiros cresce, o ente cresce, e o outro deveria também crescer. Se isso não acontece é hora de pensar a causa.

Uma das melhores ferramentas de desenvolvimento pessoal e autoconhecimento é o casamento, pois nessa situação de compromisso e intimidade nos deparamos com nossos medos, nossas frustrações, nossos traumas, nossas maiores dificuldades. Entretanto, por outro lado também podemos usar esse momento para realizar a cura.


Foi no meio familiar que eu nasci, cresci, sofri, e adoeci. Mas também é na família formada por marido, esposa e filha que eu me curo! Olha que maluco. É como o medicamento: o mesmo veneno da cobra que mata, está no soro que salva.

Ao pensar no divórcio você pode em primeiro lugar fazer o esforço de se afastar da situação a fim de evitar qualquer atitude precipitada por influência do atrito de egos. Se puder vá para longe antes de tomar qualquer decisão, viaje para refletir: qual o relacionamento ideal pra você? O seu parceiro já demonstrou as qualidades que você idealiza e necessita?

Há 7 pontos importantes que você pode analisar:


1.Se você sofre ou pratica violência física ou psicológica: pare imediatamente, isso tende a piorar e dificilmente esse relacionamento será equilibrado algum dia, pois quem domina é o ego negativo;


2.Se vocês não compartilham os principais objetivos de vida, além de valores em comum será difícil haver harmonia entre vocês: um quer viajar o mundo, enquanto o outro quer ter rotina familiar com crianças, cão, gato, e papagaio; alguém sempre está descontente;


3.Você é muito esforçado, batalha pelo que quer, estuda, trabalha, cuida das crianças, enquanto o outro é muito acomodado, senta no sofá, reclama que está desempregado, e fica depressivo (elevador descompassado); você se sente sugado pelo outro;


4.Algum dos parceiros se apaixonou por outra pessoa: se isso aconteceu a distância entre vocês é infinita; para alguns um caminho sem volta, e já está dado o veredito;


5.Vocês tinham um negócio em comum, a empresa fechou e a relação esfriou;


6.Você sente que já encerrou o carma com o parceiro e agora deve partir;


7.Você foi convidado para um trabalho no exterior e está todo empolgado porque é a realização de um sonho de vida, entretanto, o seu parceiro faz chantagem e se recusa a ir com você.

Somente você no recôndito da sua alma tem o poder de decidir o que será melhor. O principal é lembrar que cada um deve ser livre para fazer sua escolha essencial. Se o outro quer partir, deixe-o ir.

Ninguém é de ninguém, e para viver um grande amor é necessária muita coragem para deixar ir o que passou, e primeiro ter amor por você mesmo. Caso realmente acredite que deve se divorciar, que isso ocorra de forma pacífica e amorosa. O pensamento de que existe um culpado é uma crença negativa e desnecessária que enegrece seu coração e pesa na sua alma. Lembre que vocês aprenderam muito um com o outro, mas agora escolheram tomar caminhos diferentes, mesmo que não tenham coragem de admitir.

Procure uma terapia, se conecte com seu Eu Superior, peça ajuda e será atendido. E assim, caminhamos um degrau por dia, um dia de cada vez…

Desejo muito amor pra você! Um beijo e até semana que vem!

Simoni Venturini

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.