publicidade

Quando paramos de ter medo de fracassar começamos a nos preparar para vencer!

Existem muitas histórias de superação que nos provam que vale a pena tentar outra vez.Uma delas que me chama atenção é a história de Thomas Edson, o inventor da lâmpada etétrica, dentre muitas outras invenções. Para conseguir esta proeza, a história conta que ele errou 1200 vezes. Fico a imaginar os parentes e amigos quando ele já havia chegado na milésima tentativa. Talvez o descrédito já era algo previsível. O desdén, a dúvida, ou mesmo um conselho de amigo que quer proteger de mais desapontamentos ecoa nos ouvidos dele dizendo: “você não acha que é melhor desistir?” Mas ele não desistiu porque não tinha medo de fracassar quantas vezes fosse necessário até conseguir o seu intento. Questionado sobre as inúmeras tentativas, ele responde: “aprendi 1200 formas de como não fazer a lâmpada”. Quanta ousadia!



Mesmo com esses e outros exemplos, a impressão que temos é que nunca achamos que pode acontecer conosco. Olhamos para nossas limitações pessoais, ausência de recursos, nenhum incentivo externo ou mesmo nos tornamos “realistas” quando decidimos encarar o passado de tentativas fracassadas. Acabamos por sentenciarmos a nós mesmos e nos acomodamos em nosso casulo de justificativas infindáveis. O mundo então, perde a chance de conhecer a nossa “lâmpada elétrica” e passamos por esta vida sem nos tornarmos agentes transformadores simplesmente pela decisão de não tentar depois que já o fizemos pela milésima vez.

Mas a verdade é que cada fracasso deveria nos fazer fortes pois ele nos enche de experiências. Cada perda é um sinal de que houve uma ação em direção ao ganho. Cada decepção deveria ser encarada como uma oportunidade de conhecer melhor o ser humano, conhecer melhor a si mesmo. Cada crítica deveria compor um soneto daquilo que podemos melhorar. Cada “banho de água fria” deveria refrescar a nossa mente para novas possibilidades. Cada pessoa que não acredita mais em nossa capacidade nos dá a oportunidade de colocar em nossa própria conta um crédito mais valioso: o que nós mesmos nos damos!

Caminhando para a construção de algo que você acredita ser o seu chamado, a sua missão, os fracassos acabam sendo uma rotina que não lhe amedronta mais e você finalmente começa a preparar-se para vencer, para atingir, para conquistar. A sensação é de que a vitória é algo tão desconhecido ainda que assusta e que irá requerer de nós um preparo que não temos,pois estávamos acostumados com outros finais. Descobrimos então que não temer mais as derrotas é o ponto de partida para estarmos preparados para as vitórias e que precisaremos evoluir em outras habilidades agora. Afinal, o sucesso também dói, também tem perdas que raramente alguém calcula quando o deseja e que raramente alguém suporta quando o alcança.


Então, é hora de decidir perseverar, atravessar a linha das mil tentativas sem temer o futuro. Despir-se de uma autopiedade com a qual você estava acostumado(a), parar de lamentar-se pelo que se perdeu, encarar com fé as reais limitações, graduar-se pelos acúmulos de fracassos e subir no monte onde você pode contemplar o começo quando você pensava que era o final. É hora de desenvolver novas competências e continuar “sofrendo”, mas agora pelas conquistas, pelas vitórias e pelos sucessos que jamais existiriam se não fossem os fracassos. A palavra de ordem é: tente outra vez!

Adriana Garcia


Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.