Quando perdemos o nosso pai, dizemos adeus a uma parte muito importante de nós mesmos

Um dos momentos mais complicados que podemos viver na vida é ter de dizer adeus aos nossos pais.

É algo para o qual nunca estamos preparados, porque ocupam uma grande parte de nossos corações, e ainda que não tenhamos um bom relacionamento com eles, de alguma maneira, sempre foram importantes para nós.

A maioria das pessoas possui um vínculo mais profundo com as mães, mas isso não muda o fato de que os pais também são fundamentais nas vidas de seus filhos, porque trazem segurança, luz e muito amor, colaborando para formar o seu caráter. Por isso, sua ausência exige uma grande readaptação.

Perder alguém que amamos tanto assim gera uma crise interior. Não sabemos como continuar nossos dias sem essa pessoa que foi um farol para nós e garantiu que estivéssemos sempre bem. Nos recordamos de todos os momentos que vivemos juntos, desde as brincadeiras na infância, as conversas na adolescência e o companheirismo na vida adulta e nos perguntamos como faremos para seguir nossos caminhos por conta própria.

Perder o pai, em quaisquer circunstâncias, é dizer adeus a uma parte muito importante de nós mesmos.

Se eles foram presentes e se preocuparam em sempre garantir nossa felicidade, sofreremos a sua falta.

Se, pelo contrário, nunca foram muito próximos a nós e não quiseram criar um vínculo de amor, sentiremos falta de tudo o que poderia ter sido, porque ainda que desejemos, não poderemos mais tentar consertar as coisas.

De qualquer maneira, iremos sofrer, seja pela dor da perda ou pela dor da ausência que nunca mais será compensada. Mas algo que devemos nos recordar é que todas as perdas da vida, por mais dolorosas que sejam, são uma grande oportunidade de crescimento.

A dor da ausência de nossos pais pode durar um bom tempo ou nunca desaparecer por completo, porque não importa a nossa idade, sempre sentiremos falta de conversar com eles ou recordar os bons momentos da vida ao seu lado.

O que podemos fazer para tornar essa saudade um pouco menos dolorida é nos recordar de tudo que nossos pais representaram – ou poderiam ter representado – para nós, e usar a dor de sua partida como um grande estímulo para seguirmos em frente e vivermos nossas melhores vidas.

Ainda que não estejam mais vivendo entre nós, nunca deixarão de viver dentro de nós, e seu amor permanecerá conosco para sempre, guiando-nos e fortalecendo-nos a cada dia.

Devemos pensar em todas as coisas boas que nos proporcionaram, direta ou indiretamente, e usá-las como motivação para continuarmos dando o nosso melhor e os deixarmos orgulhosos.

A morte de nossos pais leva uma grande parte de nós, mas também permite que possamos florescer de maneiras que nunca imaginamos. Portanto, não podemos permitir que a dor nos cegue, porque existe muito mais para nós do que apenas lágrimas.

O amor que eles sentem por nós, e nós por eles, se manterá vivo, e nos capacitará todos os dias. Aprenda a enxergar isso e entenda que nunca é realmente um adeus.

Afinal, como disse Sirius Black: “As pessoas que amamos nunca nos deixam de verdade.”


Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação desse material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.


Direitos autorais da imagem de capa: cena do filme “Questão de tempo”.



Deixe seu comentário