Quando tem que ser, acontece naturalmente!

Nem amor, nem dor, nem raiva.

Se você percebe que não há amor na rua relação atual, tenha a dignidade de cair fora. Você precisa ser fiel ao seu propósito de vida. E eu duvido que alguém se imagine na companhia de uma pessoa que não caiba no perfil que desenhou.

Não dá para ser feliz idealizando algo que não existe, ou seja, que apenas você plantou no seu imaginário amoroso.

Deixa eu partilhar minha experiência com você. Eu conheci um cara. E a princípio ele se encaixava com aquilo que quero para mim. Bem-sucedido na vida, intelectual, amigo, carinhoso… não era um moreno alto, bonito e sensual, mas tinha muitas características que me agradavam. Saímos algumas vezes e tudo parecia ir bem. Entretanto, apenas eu considerava a continuidade da relação.

E é bem nesse ponto, que aconselho a prestar atenção, pois talvez a minha história o motive a mudar a sua. Então…

Eu sou um ser que presa a continuidade, o compromisso. Aquela mulher que quer ser de um homem só… enfim. E por pensar assim, o primeiro ser masculino que eu encontre e que esteja nas minhas expectativas eu já acho que deveria ser para sempre. E não é assim que funciona. Aliás, pensar e agir assim é sinônimo de sofrimento.

Depois de conviver com esse abençoado, eu pude perceber que ele também tem um perfil pré-definido da sua alma gêmea. E que não era eu. Não que eu não fosse alguém interessante, eu apenas não preenchia os requisitos dele. Nesse caso específico havia, inclusive, questões religiosas.

E vá por mim, não adianta querer enfiar-se num lugar que não lhe, cabe. Quando tem que ser, acontece naturalmente.

Pois bem, assim que percebi que, embora eu e ele apreciássemos estar juntos, era algo que não iria para frente, tomei coragem de ser fiel aos meus princípios e anseios e colocar um fim nessa cilada.

Entendi que era perda de tempo ocupar o lugar do ser que também está me procurando. E então, escrevi um poema para terminar essa minha experiência amorosa.  E acredite, naquele momento eu não estava mais sentindo nem amor, nem dor e nem raiva por ele. Apenas gratidão por me fazer evoluir. Vejam o que escrevi para aquele embuste,

“Nem amor, nem dor, nem raiva.”

“Eu podia fazer-me de desapegada

E assim como você, dizer que já não sinto nada

Nem amor, nem dor, nem raiva

Eu podia ignorá-lo

Não perdoar por me negar um abraço

Um aconchego no seu peito

 

Podia fingir que não vi você mentir

Sobre o calor, sobre o amor, sobre eu ser sua

Podia continuar aceitando suas migalhas de amor

Acompanhada da química prazerosa

Da sua boca na minha, de um beijo gostoso

 

Contudo, não posso negar minha decepção

Não posso suportar a sensação

de não ser correspondida

Pois eu sou aquela que além de amor

Pode dar fidelidade, lealdade e felicidade

 

E não é justo que eu com tanta disposição

Para amá-lo

Continue como um objeto carnal a satisfazer seu ego

Tomará que encontres alguém para trocar carícias

Sem compromisso, sem malícia, sem desejo de amor

E que tudo seja uma delícia

Assim como foi para nós. ”

Tenha coragem de ser fiel ao seu projeto de vida. Levante-se, olhe-se no espelho e diga: eu mereço ser feliz, não aceito nada menos que isso.

____________

Direitos autorais da imagem de capa: ammentorp / 123RF Imagens



Deixe seu comentário