VidaColunistasReflexão

Quando a vida nos mostra vários rumos…

QUANDO A VIDA MOSTRA FOTO DE CAPAA

Você sempre tem certeza para onde está indo? O que pode encontrar pelo caminho? Quem você gostaria que estivesse lá quando você chegasse? Talvez sim. Ou quem sabe não.



Na real, as vida nos surpreende até quando focamos em algo que nos parece ser a coisa mais importante do mundo. Mas existem épocas em que podemos ir ou ficar, parar ou continuar, amar ou apenas curtir. E aí queremos as duas opções.

Quantas vezes eu fui, sem querer sair do lugar. Eu fiquei, mas depois precisei partir. Quantas vezes eu disse vários sim, alguns nãos e tantos não sei. Isto, por que, simplesmente eu não sabia mais ao certo o que queria. E eu tinha vários lugares para chegar e eu queria chegar a todos.

quando-a-vida-mostra-foto-01


Mudanças. Surgem de uma hora para outra. Sem previsão. E nos percebemos num impasse. Por mais aplicados que somos. E quando nós mesmos decidimos mudar nem sempre sabemos ao certo o motivo.

A gente começa a querer fazer tantas coisas, de tantas maneiras, com tantas pessoas. E já ouve aquele minuto em que paramos e dizemos apenas para nós mesmos: “sinceramente, não sei mais aonde quero chegar.” Acontece.

Já pensei algumas vezes em abrir mão das minhas escolhas. E percebi que tantas vezes elas não tinham sido as melhores. Já duvidei muito e duvido se estou no caminho certo.  Já notei que há varias estradas e que algumas eu posso ir e voltar. Ou parar na metade sem grandes culpas.

Não dá para viver sem uma direção, Concorda? Fica parecendo  meio sem graça, sem propósito.  Mas às vezes surgem várias opções, várias direções, parecendo um jogo de alternativas.  E não é que queremos assinalar todas?


quando-a-vida-mostra-foto-02

E daí vida? Como você faz isso? Querendo que eu pese os prós e contras. Arrisque ou fique na minha.  Me pedindo para pensar e repensar quando eu já havia feito as escolhas?

Eu sei que posso me equivocar, me perder, me afundar na indecisão. Mas também posso me permitir experimentar, aproveitar e me encontrar nos meus atalhos.

Acredito que a vida faz isso para nos sacudir, para compreendermos melhor aquela frase sobre “curtir o caminho” quando estamos muito focados.  Ou quem sabe para mudar a nossa rota mesmo, seus significados e nos dizer que nem sempre ao perdemos a direção perdemos o controle sobre ela.


Por que a “outra” é sempre a vilã da história?

Artigo Anterior

Que o melhor aconteça, pra mim e pra você!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.