Quando vivemos o amor de forma espontânea, sentimos em nós o paraíso…

Amor não tem definição…

Poetas, filósofos, artistas e místicos tentaram explicar o que é o Amor.

Mas, como explicar o que não tem explicação?

O Amor não tem definição, mas se expressa em toda Criação e age na imperfeição.

Com Amor, aceitamos à Vida com suas nuances e procuramos contribuir com nossa expressão, mesmo em meio à contradição.

Amar nos ajuda a entender, que nem sempre conseguimos mudar a realidade, mas podemos nos pacificar, diante dela, para compreendê-la e contribuir para sua transformação.

Na aceitação, amamos e percebemos que há coisas que só podemos lidar, reconhecendo que não podemos alterar, mas buscar com nossa escolha, não nos identificar e com a situação nos aprimorar.

No perdão, expandimos nosso Amor, nos libertando da culpa, raiva e revolta, pelo que não foi como gostaríamos que fosse, mas o que importa, é o que fazemos com isso, AGORA!

Amar também é vivenciar uma separação, pois, nem sempre, ficar junto é viver em Amor.

Na distância, também, cultivamos o respeito, aceitando o que na relação de melhor pôde acontecer.

Aprendemos uns com os outros e, nessa permissão, deixamos livres cada ser, para seguir sua própria evolução.

Somos seres em movimento! Encontros e desencontros, vindas e partidas, nascimento e morte fazem parte da expansão do amor nos seres e na vida!

O amor confia, mesmo sem ter a visão do Todo, contribui para seguirmos em frente e fluirmos com a vida, levando a nos aprimorar.

Nossa IMAGINAÇÃO é instrumento do amor, quando usada para ampliarmos nossa visão, contribuindo para nossa liberação.

Quando o amor está em ação, ele nos estimula à cocriação com o TODO e direciona os seres para uma verdadeira conexão!

A INTUIÇÃO nos leva a sentir e comunicar com a FORÇA DO AMOR, até por meio do INVISÍVEL, levando-nos  à COMUNHÃO com a FONTE DA CRIAÇÃO .

Assim, fluímos e estabelecemos comunicação com os seres, a natureza e a vida,

O amor cria, recria, transforma, impulsiona, inquieta, constrói, desperta, liberta e revoluciona!

Buscamos amar e sermos amados, porém o amor não é uma busca, mas simplesmente, uma ENTREGA!

Amar implica em estarmos receptivos, abertos e livres para o NOVO!

As mudanças, as diferenças, a diversidade em nós e nos outros, farão parte da vivência do amor.

O amor é como um lago, para sabermos o que é o amor, precisamos penetrá-lo, não basta só olhar a sua superfície!

Só conheceremos, verdadeiramente, o lago, entrando em suas águas!

Simplesmente, ao sentir o lago e sua realidade, conhecemos o que é SER lago e nessa comunhão vivenciamos o lago ( AMOR ).

O lago faz parte de nós e nós dele!

Amor é contemplação, comunicação e integração. Nossa autorrealização é permitir que o amor que SOMOS viva sua PLENITUDE !

_________

Direitos autorais da imagem de capa: macniak / 123RF Imagens



Deixe seu comentário