5min. de leitura

Quando você conseguir contar sua história sem chorar, você saberá que se curou por dentro

Todos nós já passamos por momentos de dificuldade na vida, que muitas vezes resultaram em feridas emocionais, machucados na alma que nos acompanham por muito tempo, interferindo diretamente em nossa jornada.

As feridas emocionais doem no coração, na mente, e demoram muito mais para se curar do que as feridas no corpo, porque são causadas por outras pessoas, por atitudes como desrespeito, desprezo, rejeição e abandono que, geralmente vêm de quem menos esperamos.


Quando lidamos com as feridas emocionais, precisamos permitir que elas se curem, dando o espaço e tempo necessário para estarmos bem novamente. No entanto, muitas vezes não permitimos que essa cura aconteça de maneira eficaz. Nós nos apressamos em encontrar outros relacionamentos que nos preencham sem estarmos devidamente preparados, e assim nos colocamos em risco, as nossas feridas podem abrir novamente e também podemos machucar outras pessoas ao nosso redor.

Quando não nos permitimos tempo para curar, acabamos atraindo muitas situações de fracasso e infelicidade, e acabamos pensando que nossas vidas são ruins e que não sabemos como realmente encontrar a felicidade, que existe um problema sério conosco, quando na verdade não existe problema nenhum, apenas não estávamos totalmente prontos para seguir a frente, as feridas ainda estavam muito abertas.

Por mais que não seja fácil, precisamos encerrar um ciclo de nossas vidas para iniciarmos outro. Não podemos criar um amanhã melhor quando ainda somos assombrados pelo passado.



Como saber o momento certo de recomeçar?

As decepções e os abandonos que vivemos em certas ocasiões podem ser tão intensos que nos fazem querer sumir do mundo e cortar relação com todas as pessoas que conhecemos. O problema é que muitas vezes acabamos também cortando relações com nós mesmos, buscando conforto em estímulos externos e ignorando o fato de que ainda não estamos curados.

Nossa ânsia de amor, felicidade e aceitação pode nos cegar e nos impedir de perceber que precisamos de mais tempo com nós mesmos, para nos prepararmos verdadeiramente para recomeçar. Por evitar situações como essa, é extremamente importante aprendermos a reconhecer os sinais que mostram que nossas feridas emocionais já estão cicatrizadas.


Um dos sinais que nos permite reconhecer que estamos curados é poder contar a nossa história sem sermos invadidos por emoções intensas, que nos levam às lágrimas. Quando aprendemos a lidar com tudo o que nos acontece e ficar em paz com isso, alcançamos uma nova e mais feliz parte de nossas vidas.

Se a sua ferida emocional foi causada por uma perda, você saberá que já está curado quando falar sobre ela sem viver a situação novamente em sua mente, e em seu lugar acontecer apenas uma sensação de familiaridade com a situação.

Se a causa da ferida foi um relacionamento, você saberá que está melhor quando puder focar apenas nas coisas boas e recordar o passado com calma e gratidão, ao invés de pensar apenas nos lados negativos.

Conseguimos a verdadeira cura quando a paz reina em nossas vidas, e nos permite recomeçar com confiança e equilíbrio. Quando estamos em paz com nosso interior e sabemos exatamente quem somos, e o que nossas experiências nos ensinaram sobre a vida e nós mesmos.


Palavras como sinal de recuperação emocional

Cada um de nós se recupera de maneira particular das dificuldades da vida. Enquanto que uns podem falar abertamente sobre elas e buscar ajuda, outros preferem lidar sozinhos, com introspecção.

As palavras não funcionam bem para todos, e a opção de silenciar pode ser um mecanismo de defesa, uma maneira de nos impedir de viver novamente toda essa situação traumática que nos trouxe tantos sentimentos ruins.

No entanto, de qualquer maneira ainda temos que processar aquilo que vivemos, encarar como uma parte de nossas vidas que foi superada, e falar sobre isso, para que todo o peso relacionado possa ir aos poucos diminuindo, tornando nossas vidas mais leves.

Falar sobre nossas feridas é um sinal de que conseguimos transformá-la de um trauma a uma experiência inevitável que foi superada e nos transformou em pessoas melhores.






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.