O SegredoVida

Quanto tempo se leva para esquecer um instante?

Não tenho ideia da resposta para essa pergunta. Às vezes tenho a impressão de que uma vida inteira, ou muitas vidas, a eternidade, sabe lá. A única coisa que sei é que por onde eu esteja parece que estou esperando esquecer.



Eu sempre gostei de encontros e/ou reencontros inesperados, coisas que acontecem sem premeditar, apenas acontecem. Tipo: você conhece alguém, marca um primeiro encontro e ali você passa horas conversando como se fossem velhos conhecidos. É algo estranho e ao mesmo tempo fascinante, como se fosse um encontro marcado em outras vidas, ou melhor, um reencontro de almas.

É assim que eu vejo o meu primeiro encontro com ele. Mal tínhamos conversado pelo whats, ou qualquer outro meio de comunicação, e ele já estava me convidando para jantar. Eu não sabia nada sobre sua vida, seus gostos, que sentido haveria num encontro? Aquilo me deixou nervosa, indecisa, e olha que costumo ser uma mulher decidida, mas ele surgiu de maneira atípica e isso me intrigava, ao mesmo tempo despertando um interesse e medo.

Até a hora não sabia ao certo se deveria ir, não sabia o que vestir (aquela velha história de que nunca temos uma roupa quando precisamos), o que falar. Minha cabeça já estava um turbilhão de pensamentos, até que eu decidi que não iria. E quando ia mandar uma mensagem cancelando, lembrei-me do sorriso, do olhar dele e mudei de ideia.


Em 1 hora ele estava em minha porta, e lá fui eu, sem ter ideia do que poderia acontecer naquela noite. Educado, decidimos aonde iríamos e lá estávamos. Pedimos o vinho e um pouco tímidos ainda na primeira taça, fomos aos poucos nos permitindo conhecer a vida um do outro e à medida que a garrafa de vinho se esvaziava, estávamos cada um mais próximo da história do outro. Uma segunda garrafa e tudo fluía de maneira mágica, como nos encontros de romance. Uma noite na companhia de um homem inteligente e envolvente, e eu confesso, não imaginava o quanto isso poderia me marcar.

Mas marcou, e agora estou aqui relembrando um pouco esse instante raro de conexão mental, que foi arrebatador e perturbador. Não sei dizer porque hoje, talvez porque eu esteja com saudades da sua voz macia, do seu toque em minha pele, dos seus beijos, ou simplesmente com saudades das sensações despertadas naquele instante, que por mais tempo que passe, é tão presente.

Sensações gostosas que me permitem lembrar o quanto é bom estar viva. E quer saber? Não quero esquecer, e sim ter mais instantes como esses.

E você, tem instantes inesquecíveis?


Outono: recomendações ayurvédicas para manter a saúde na estação de transição para o inverno

Artigo Anterior

7 coisas que você precisa fazer por si mesmo

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.