5min. de leitura

QUASE 30 – O CORPO!

Leia ouvindo: João Gilberto – ‘S Wonderful


Celulites, eu estava cheia delas! Nada foi mais chocante do que perceber que ali na minha bunda elas faziam morada. Naquele dia eu vesti calças, deixei a saia mais curta, assim como o meu inseparável shorts jeans de lado. Do elevador até a garagem eu senti o peso de ter extrapolado na alimentação daquela viagem e nos meses que me fizeram chegar até aqui. Me incomodou e muito!

Dei aquela sofrida até chegar no encontro com as minhas amigas. Todo mundo na cerveja, até pensei em pedir um suco, mas com cerveja sempre foi mais divertido. Vez ou outra não está ok? Está. Então, ok!

Não vou privar um encontro com elas por causa das minhas celulites, e quer saber? O problema não é a abençoada cerveja em boa cia. O problema é não arrumar tempo para ir treinar. O problema é todo dia abrir “exceção” e comer carboidrato aos montes. O problema é não resistir ao doce todos os dias. O problema é o equilíbrio! O puto do equilíbrio. Aquela linha tênue que de um lado temos relaxo da vida desregrada e do outro o abrir mão de tudo que é incrível para simplesmente ter um corpo bonito.


Deixem as celulites em paz! Depois eu me resolvo com elas. Se não falta a cerveja, não haverá de faltar a  tal da força de vontade. Por que o problema do equilíbrio é esse, a força de vontade por vezes extrapola e chega na voadora na cobrança máxima! Eu não vou deixar de beber uma cerveja com as minhas amigas ou comer aquele doce que estou com vontade. Posso não ter o corpo que gostaria, mas jamais vou deixar de ter vida social que amo.

Existe uma confusão enorme entre dieta e alimentação saudável. É saudável se alimentar bem, saber o que nutre o seu corpo e tudo aquilo que te suga a energia. Não é viver para o corpo, é alimentar também a alma! Se carboidrato em excesso faz mal, imagina gente bitolada com alimentação?

Deus me livre de amigas que não dividiriam um brigadeiro de panela em plena TPM só porque estão na dieta. Ou pior, que fizessem brigadeiro de whey para tornar mais saudável a felicidade que só uma lata de  leite condensado traz!


E olha que eu estou falando em momentos de felicidade, não apologia barata para você tocar o terror nas guloseimas, tá? Rotina é rotina e escapar dela vez ou outra é uma delícia!

Depois desse encontro, com cerveja e porções, cheguei em casa, tirei a roupa e fui de calcinha e sutiã para a frente do espelho. Não é o corpo que muitas revistas colocariam em seus padrões de beleza, mas é o meu.

A minha busca vai além de uma barriga chapada ou das desculpas que eu uso para não alcançar os resultados que espero. O meu corpo é o meu templo e isso significa que nutri-lo é ir muito além, e isso inclui uma vida social ativa com as minhas amigas, algumas cervejas, porções e muitas risadas.

É saudável quebrar regras e jacar. É saudável sua atividade física diária. É saudável o tal do Frango com batata doce, mas não só Frango com batata doce. É saudável diminuir os drinks, só não é saudável viver em função de uma vida regrada demais. Só não é saudável essa maneira esquizofrênica de priorizarmos um corpo e suas aceitáveis imperfeições.

Quando a celulite incomodar, talvez seja a hora para voltarmos para o fabuloso, “Comer Rezar Amar”*.

*Itália é com certeza uma das minhas partes favoritas. Attraversiamo!





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.