7min. de leitura

Que bom seria se, ainda quando crianças, fôssemos ensinados a lidar com as nossas emoções!

Desde que estamos na barriga de nossas mães já somos capazes de sentir algumas das emoções básicas.



Nossas emoções estão ligadas diretamente com os outros 3 principais pilares que compõe o ser humano: mental, energético e físico.

Emoção vem da palavra em latim “emovere”, onde o “e” significa “fora” e “movere” significa “movimento”. Por isso, nossas emoções não foram feitas para serem guardadas ou reprimidas, e sim para nos colocar em ação. Afinal, estamos sempre buscando sentir e experienciar essas emoções e o pilar emocional é o que nos motiva a fazer isso.

Desde que estamos na barriga de nossas mães já somos capazes de sentir algumas das emoções básicas. Existem diversos estudos que mostram as emoções básicas do ser humano desde que ainda é um feto. Alguns desses estudos dizem que temos apenas 4 emoções básicas, outros defendem que são 5 ou 6 e até encontramos alguns que dizem até serem 7!


No Unna, utilizamos como referência, os estudos de Paul Ekman, um psicólogo americano, que iniciou seu trabalho sobre emoções humanas e expressões faciais no ano de 1954.

Paul defende que o ser humano possui 6 emoções básicas, são elas: raiva, medo, nojo, tristeza, alegria e a surpresa. Segundo ele “as emoções não teriam sido preservadas ao longo da nossa evolução se elas fossem de alguma forma intrinsecamente prejudiciais ou destrutivas.”

Nossas emoções servem como um sistema de avaliação rápido que utilizamos como forma de proteção às experiências que são vividas. Não podemos avaliá-las isoladas. É preciso avaliar juntamente a uma experiência e entender se o nosso estado emocional tem sido positivo ou negativo. Introduzir consciência a esse pilar irá nos impulsionar a trabalhar nossas emoções a nosso favor.

Emoções básicas | Ações e reações

Raiva: é o que nos impulsiona a agir frente aos obstáculos. É a força motriz da ação. Por exemplo, alguém diz que você não consegue fazer determinada coisa e você sente raiva ao escutar. Este sentimento vai impulsioná-lo a agir.


Medo: é o impulso indispensável que temos à nossa sobrevivência. É a partir dele que construímos a nossa proteção. Por exemplo, se você está em frente a um leão, o medo é importante para que seu sistema dê a você o estímulo de como se proteger.

Nojo/repulsa: é um estímulo para a avaliação ou reavaliação. Por exemplo, quando passamos por uma situação que não nos agradou ou nos causou algum dano, ao sermos colocamos frente a uma situação parecida sentimos repulsa.

Tristeza: é o impulso que nos faz refletir sobre nós mesmos. Ao passarmos por um momento de tristeza somos convidados a fazer uma reflexão. Por exemplo, quando você perde um ente querido, começa a olhar para si mesmo e avaliar como está vivendo a sua vida.

Alegria: é estímulo para a conquista, diversão, satisfação e a euforia. Ela nos impulsiona a repensar o que realmente desejamos para nós mesmos.

Surpresa: é a nossa reação ao novo. É uma emoção natural que temos ao nos depararmos com o desconhecido.

Emoções básicas | Positivas X “Negativas”

Você pode estar pensando que possuímos mais emoções básicas que popularmente caracterizamos como negativas do que as positivas. Porém, é preciso desmistificar isso. As emoções, como dito no começo do texto, não podem ser avaliadas sozinhas. Se sentimos medo, tristeza, raiva ou nojo é preciso entender o porquê! Qual situação que está relacionada e por que nosso sistema despertou essas emoções. Nós entendemos que são emoções desconfortáveis, mas por nos tirarem da nossa zona de conforto é que elas nos trazem grandes ensinamentos.

O segredo é entender como você utiliza essas emoções a seu favor. Um bom exercício a se fazer é olhar para si mesmo e perceber em quais situações você desperta essas emoções. Perceba o que os impulsos que elas trazem podem dizer a você.

  • Você perante a emoção da raiva sente-se impulsionado a agir?
  • Perante a sua tristeza, reflete sobre o sentimento e sobre si mesmo?
  • Você utiliza dos seus medos para avaliar quais seriam seus pontos fortes e fracos?

Trazer para o consciente o porque das nossas emoções nos ajuda a tirar ótimos aprendizados sobre nós mesmos.

Além das emoções básicas, também é preciso considerar nosso estado emocional. Sempre ressaltamos em nossos conteúdos que, para nós do Unna, todas as situações que passamos são neutras, mas vamos encará-las de acordo com o nosso estado emocional.

Portanto, se seu estado emocional for negativo, pode enxergar a situação pelo seu lado mais desafiador. Se seu estado emocional for positivo, você enxergará a situação como algo bom para você.

Para mim, temos também os dias que estamos mais neutros, que a situação pode não nos afetar nem para o bem nem para o mal como nos demais estados citados.

Volto a dizer, que bom seria se fossemos ensinados a lidar com as nossas emoções ou mesmo escolhermos nosso estado emocional sem dificuldade alguma! Entretanto, lembre-se: ninguém consegue ser positivo todos os dias ou em todas as situações!

É importante entendermos o que nossas emoções estão tentando nos dizer e trazê-las para o consciente, e assim evoluir com elas. E então, como você está sentindo hoje?


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF Imagens.

Você sabia que O Segredo está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.