Desenvolvimento PessoalO Segredo

Que doença mental você sofre?

doencamental

Essa matéria do jornal STOP me chamou muita atenção, pois li e me deparei com coisas que eu sinceramente não sabia ou nunca levai muito a sério, mas depois que passei a perceber meus costumes e manias comecei a ver que uma delas se encaixava com minha personalidade ou pessoa. Não que seja uma coisa que queremos, mas está dentro do nosso ser, então boa leitura.



Quero apresentar uma relação de tipos de personalidades doentes, já no sentido psiquiátrico, a fim de que compreendam a conduta de muitos indivíduos que agem, por vezes, de modo estranho.

A Paranoia

A Paranoia


A paranoia está classificada entre as doenças mentais, sendo grande o número de indivíduos acometidos pelos seus sintomas. A sociedade conta, infelizmente, com esses doentes, sem se dar conta de sua periculosidade. Geralmente têm um convívio social aceitável, não raras vezes de importância. São extremamente inteligentes e usam sua capacidade para fins escusos ou úteis. Não são casos de internação, a não ser que apresentem crises (na esquizofrenia paranoide), mas criam dificuldades com as pessoas com as quais convivem. Segundo Mira Y Lopes, a descrição desse tipo de personalidade é a seguinte: “É o tipo que se julga superior a todos, achando-se sempre com razão. Não raciocina, racionaliza. É um sofista e grande argumentador, de modo que os seus adversários dizem: embora o sr. não me convença, vence-me na argumentação. “O paranoide tem tal capacidade de argumentação, que é capaz de tomar qualquer frase do seu interlocutor e convencê-lo do contrário. É um polemista e tem um tirocínio especial para a advocacia. Muitas vezes, defendendo um criminoso, consegue libertá-lo, deixando um perigoso facínora em ação novamente. “Geralmente, em virtude de sua capacidade de argumentação, resistência e perseverança, ele chega a altos postos, procurando resolver problemas difíceis, principalmente os de cará- ter pleiteante e reivindicativo, como os que agitam os grupos de trabalho. “Eles causam atritos de toda espécie, e quando as pessoas com as quais convivem duvidam de sua sanidade, eles dizem: Vocês pensam que eu sou paranoico, mas não sou. E, na realidade, são.” Enquanto o paranoico não exerce cargo de responsabilidade, como o da direção de um país, por exemplo, poderá mais ou menos adaptar-se. Mas quando sobe na escala social, as projeções que faz se encarregam de torná-lo nocivo. E realizam seu papel, enganando os outros. Um Adolf Hitler, na Alemanha (país com um povo culto), conseguiu enganar a todos por muitos anos. Somente no final, quando a situação era completamente caótica, é que perceberam toda a extensão de sua doença.


Esquizotimia

esquizofrenia


Esquizotimia Como a palavra está dizendo, esquizotimia quer dizer personalidade dividida, motivo pelo qual os indivíduos portadores desse tipo de patologia são muito difíceis de serem compreendidos. Eles próprios não sabem, muitas vezes, os motivos por que tomaram determinada atitude. Enquanto cada um de nós sabe, a qualquer hora, o que está sentindo, porque nossas experiências convergem para a unicidade, o esquizoide não sabe fazer uma síntese de seus sentimentos, e frequentemente acaba pensando que ninguém o compreende. Quando essa falta de ligação afetiva atinge a percepção e a inteligência, temos o doente mental, isto é, o indivíduo completamente desintegrado. É o esquizofrênico. Exemplo típico da personalidade esquizoide é a do filósofo Strindberg que, quando recebeu a notícia da morte da mãe, continuou tranquilamente executando a sua tarefa, como se nada houvesse acontecido. Somente depois de horas de trabalho é que parou, de repente, caindo num choro convulsivo.


Cicloidia

Cicloidia


O cicloide é o oposto ao esquizoide, porque ele está sempre de acordo consigo mesmo, tão de acordo que acha que o mundo foi criado apenas para servi-lo. Geralmente é extrovertido e simpático no primeiro contato, precisando mesmo da companhia dos outros para se sentir bem, pois tem medo da solidão. Em todo lugar a que vai faz amizade com facilidade. Ele é a pessoa que sabe de todas as notícias e boatos. Pode parecer, aparentemente, que este tipo de personalidade é ideal. Porém, ele tem tendência para a depressão, período no qual cai num estado de melancolia e pessimismo. Como tem muitos amigos, todos correm para ajudá-lo. Mas nada adianta e, de repente, volta ao seu estado normal. Outro fato interessante é que o cicloide tem necessidade premente de chamar a atenção de todos sobre a sua pessoa, gostando de ser sempre o primeiro — até nos sofrimentos. Fisicamente, segundo Kretschmer, o cicloide tem tendência para a obesidade, enquanto que o esquizoide, para a magreza.


Compulsividade

compulsividade


O indivíduo compulsivo, de modo geral, é chamado também de psicastênico, obsessivo, escrupuloso ou anancástico. Nele predomina a dúvida, o temor e as compulsões (ações que não consegue dominar).A compulsão é chamada de neurose, porém o tratamento analítico nem sempre é eficaz, podendo ser classificada, em parte, como doença mental. Todos nós temos nossas dúvidas e temores, porém o compulsivo as tem em número maior e de modo mais imaginário. Por exemplo, havia determinado aluno da Faculdade de Medicina com fobia às bactérias (bacteriofobia). Pois bem, toda verdura deveria ser cozida por dez minutos para perder suas bactérias, mas, depois desse tempo, o seu valor alimentício seria nulo. Deste modo, ele caía numa eterna dúvida, emagrecendo cada vez mais.


Hipocondria

Hipocondria


A personalidade hipocôndrica é típica no indivíduo que tem verdadeira mania de doença. No entanto, ele próprio não acredita nos seus sintomas. A Psicanálise encontrou neste tipo de personalidade muitos sentimentos de culpa, motivo pelo qual procura se mostrar doente, para saná-los. Certa senhora, que conheci em Viena, queria por força ter um câncer. Visitava novos médicos todas as semanas e os criticava, quando afirmavam sua sanidade. Esse fato aconteceu, depois do falecimento do marido, que tratara muito mal em vida. Casos assim são muito comuns dentro dos anais da psiquiatria.


Astenia

astenia


O astênico é o indivíduo que se caracteriza pelo eterno desinteresse de tudo. Não vibra por motivo algum, e parece amorfo ou apático. Como teve tudo o que quis, não encontra motivos para se interessar, pois os astênicos viveram na infância em ambiente indolente.


Glisceroidia

gli


O glisceroide é o indivíduo que se caracteriza pela sua viscosidade, isto é, pela tendência em colar nos outros. Eles são extraordinariamente prestativos, embora sejam muito explosivos, podendo passar de um comportamento amigável para outro agressivo. Este tipo de personalidade tem uma base epiléptica. Mesmo que não tenha um foco no cérebro, possui as tendências dos portadores do “mal sagrado”.


Anetia

anetia


O tipo anético se caracteriza pela sua amoralidade, ou pelas suas perversões. O seu grande número está localizado na Europa, pois ele grassa em civilizações que chegaram ao seu auge, e quer mudar um pouco os velhos hábitos. Este indivíduo diz ao outro o que ele exatamente gosta de ouvir, não se importando com a retidão moral. O anético tem acentuada tendência para profissões de espionagem, não se importando, muitas vezes, para quem trabalha. Contanto que ganhe bem, pode espionar contra o próprio país de origem.


Hiperemotividade

hiperemotividade

É muito frequente entre nós a pessoa chamada de hiperemotiva, isto é, o indivíduo que tem a emotividade incontrolável. Caso seja chamada a sua aten- ção por qualquer motivo, explode como se tivesse sido atacado mortalmente em sua honra. É chamado também de temperamental. Penso que nessa lista estão os principais tipos de personalidades patológicas, no sentido psiquiátrico, como já falamos no iní- cio. Nós os descrevemos de modo bastante superficial, mas tentando dar exemplos como eles agem. Talvez assim possa ser de alguma utilidade para os que desejam uma informação rápida.

 

Então, qual delas você se identificou? Comente sobre o assunto e compartilhe com seus amigos.

 

____

Fonte: Jornal STOP e O Artigo

Como é que se esquece alguém que se ama?

Artigo Anterior

Ser verdadeiro com os outros é ser verdadeiro consigo mesmo.

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.