Que a sua história seja a melhor da sua vida!



Minha história tem começo, meio e fim; e como toda boa história tem um meio bem embolado e o leitor terá que prestar muita atenção para não perder o fio da meada.

Como toda boa história teve um começo e, no começo, parecia meio sem rumo, sem saber para onde ir, mas fui em frente engatinhando, tateando, andando primeiro e depois correndo, tropeçando, caindo, levantando, rindo como se estivesse em uma grande brincadeira. Como todo começo de história, teve longos parágrafos descritivos, momento de observar e aprender, conhecer o mundo, as pessoas – o cenário, as personagens.

Há um capítulo da história minha (chamado adolescência) que é só dedicado a entender a personagem principal. Ela, dialogando por horas com o espelho imaginário, anos nesse monólogo interior de procurar seu lugar no mundo e se revoltar porque o mundo parecia não ser o seu lugar.

E aí começa a ficar interessante: vem o romance, a aventura, o drama; uma pitada de comédia, às vezes um suspense e um susto. E na história da minha vida tanta coisa acontece e com tanta intensidade que mal dá tempo de compreender todos os acontecimentos.

Minha história é igual a tantas outras, mas ao mesmo tempo tão única e diferente de qualquer outra história, que a cada dia eu mesma me encanto e surpreendo com ela.

O fim ainda é indefinido. Quer dizer, de verdade, todo mundo sabe que toda história, no fim, acaba. Mas o fim também pode ser sinônimo de “objetivo” – não de final, mas de finalidade. E o fim, “a finalidade” da história toda, ah, esses, sim, estão bem definidos. Sempre estiveram, desde o começo, mesmo que não fosse claro, mesmo que inconsciente, pois está no DNA da alma.

E você? Quando você olha para sua história, desde as suas primeiras lembranças até hoje, o que você vê?

O que o marcou, o que o moldou, o que você sonhou e o que realizou? Do que você teve que desistir, e o que fez você insistir, persistir, resistir, reexistir?

Que história você conta para si mesmo, que é bem diferente da história editada que você posta por vaidade? Como é a sua timeline interior, a história que faz sentido, que o constrói, que o define, que o revela?



Como eu disse, toda história é única, e essa singularidade faz sua vida mais bela do que você imagina. Ao mesmo tempo, a pluralidade de histórias vividas em uma só vida é o que faz nossa existência ser uma experiência tão rica neste planeta.

Então, que seja uma boa história de ser contada; sobretudo, que seja uma história inesquecível de ser vivida!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: duchekula / 123RF Imagens






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.