publicidade

Quem dera eu fosse uma flor…

Quem dera eu fosse uma flor,



Que na primavera derradeira se embrenha por entre o jardim…

Que nas sombras da noite se banha de orvalho e de luz estelar…

Que guarda nas pétalas um perfume sem fim… De um tempo dourado infinito na memória …


Quem dera eu fosse essa flor que esconde os espinhos e não mostra a sua dor…

Que exala o aroma da pura beleza, que traduz o que é simples no mais puro amor!

Ah se eu pudesse seria essa flor… Que transcende  as estações e se eterniza  em força e destreza…


Que morre e renasce em cada certeza

Dos dias que nascem e das noites que morrem nas madrugadas frias,  pelos primeiros raios de Sol , na dualidade mágica do que era e do que ainda será!

Quem dera eu fosse essa flor…já pelo vento despedaçada mas com seus botões enraizada…na imortalidade natural e divina …

Que leva na sua essência a semente da vida que se esvai como um sopro de vento , nas ruínas destruídas pelo tempo…

E que se eterniza na magia infinita, de reviver em outra vida…

Ainda que no mesmo jardim… E que em tão jovem botão espera pacientemente o tempo certo para florescer!

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.