Notícias

Quem é Túlio em Pantanal? Peão usa “sexto sentido” para cumprir missão

Foto: Reprodução
capa tulio

Chefe de uma comitiva, o peão guiou José Lucas (Irandhir Santos) para os braços de José Leôncio (Marcos Palmeira) na novela das nove da Globo.

Jackson Antunes deu o ar da graça em Pantanal apenas para promover um encontro entre pai e filho. Chefe de uma comitiva, o peão guiou José Lucas (Irandhir Santos) para os braços de José Leôncio (Marcos Palmeira) na novela das nove da Globo.

Engana-se quem pensa que o boiadeiro não tem consciência de sua missão. “Ele não é bobo. É um caboclo que tem um tino de perceber as coisas, tem um sexto sentido“, afirmou o ator.

O velho conhecido do “rei do gado”, porém, não será um personagem fixo. Túlio ficará no folhetim até o capítulo da sexta-feira (27), quando José Lucas deixará a comitiva dele para virar peão da fazenda do pai. Com isso, o ponteiro seguirá seu caminho.

Nossa cena de despedida foi emocionante! O Zé Lucas sabe que seu destino está ali na fazenda, com o pai. Ninguém sabe se o Zé Lucas quer assumir o que é dele, junto à família, ou se quer vingança. O Túlio simplesmente cumpre a sua missão. Ele deixa o Zé Lucas ali e parte com sua comitiva em destino indefinido”, falou o ator, em entrevista divulgada à imprensa pela Globo.

A participação de Antunes na novela das nove faz referência à história que ele tem com Benedito Ruy Barbosa. O autor escreveu a 1ª versão do folhetim, exibida na extinta Manchete (1983-1999), e é avô de Bruno Luperi, que comanda o remake da Globo.

Se eu fosse escrever um livro contando a minha história, não teria como, a maioria das páginas seria preenchida por um nome: Benedito Ruy Barbosa. Foi em Renascer, em 1993, eu então com 33 anos, norte-mineiro, vindo lá do sertão das [Minas] Gerais, que tive minha primeira e grande oportunidade em um papel importante na trama“, relembrou o artista.

Screenshot 9 4

Direitos autorais: Reprodução/Globoplay

O ator integrou o elenco de quase todas as obras do escritor veterano desde que estreou na TV, como O Rei do Gado (1996), Terra Nostra (1999) e Sinhá Moça (2006).

São 30 anos de TV. Reencontrei figurinistas, contra-regras. Foi uma festa tão grande, tão imensa, que, mesmo se eu não fosse gravar ali, já bastaria, só de encontrar a turma. Todos felizes, torcendo, aplaudindo depois da cena“, disse o artista.

De fato, o ator já contracenou com boa parte do elenco de Pantanal. Em Renascer, conheceu Marcos Palmeira, o José Leôncio do remake de Bruno Luperi; em Sinhá Moça, se aproximou de Osmar Prado, intérprete do Velho do Rio.

Também foi pai de José Loreto (Tadeu) no filme Aldo – Mais Forte que o Mundo (2016) e de Gabriel Sater (Trindade) em Coração de Cowboy (2018). “Era como se eu estivesse em casa, em uma família imensa de pessoas amadas e queridas. Eu acho que a grande riqueza nesses 30 anos de televisão está exatamente nas relações, nos amigos que fiz. Isso é o grande legado da minha vida“, completou.

Escrita por Benedito Ruy Barbosa, a novela Pantanal foi exibida em 1990 pela extinta Manchete (1983-1999). O remake da Globo é adaptado por Bruno Luperi, neto do autor.

0 %