4min. de leitura

Quem espera muito por um parceiro ideal, deixa de ser feliz com uma pessoa real!

Não precisamos encontrar a solução para os problemas da pessoa amada, mas devemos estar sempre abertos a ouvir e a acolher quem amamos. Não precisamos ser super poderosos, mas devemos ser o lugar para onde o nosso parceiro deseja voltar depois de um dia difícil. 


Vamos combinar? Defeitos todo mundo tem. Manias chatas todo mundo tem. Medo de alguma coisa todo mundo tem. Ninguém é perfeito, ninguém tem tudo sob controle o tempo todo. E se hipoteticamente, o nosso parceiro fosse capaz de prever e controlar tudo provavelmente teríamos uma convivência bem tediosa. Ensinar o que para alguém que tudo sabe , que tudo pode? Alguém capaz de prever cada risco e fugir de cada esparrela seria uma pessoa incapaz de se surpreender. Sim, seria muito chato. Muito chato mesmo.

Infelizmente, somos vítimas da cultura dos contos de fadas e das comédias românticas americanas, derivativos dos contos de fadas. Muitas mulheres ainda acreditam e ainda esperam por um parceiro ideal, algo estilo Mr. Darcy de Orgulho e Preconceito. Alguém que não erra, alguém que nunca vai nos desapontar. Alguém que tem tudo sob controle e sempre escolhe o caminho mais sensato.

Somos imperfeitos, confusos, caóticos, contraditórios. Ás vezes, queremos uma coisa ou pensamos querer. Depois queremos outra. Às vezes, nos auto sabotamos sem entender o porquê. Temos mais dúvidas do que certezas.


Se formos esperar pelo parceiro ideal, deixaremos de ser felizes com uma pessoa real, de carne e osso, com sangue nas veias como a gente. Se formos esperar pelo parceiro ideal, vamos nos decepcionar ferozmente com cada pessoa que entrar em nossa vida. Não quero dizer que devemos aceitar qualquer tipo de defeito e mania. Ficar com uma pessoa que tem por mania, por exemplo, nos depreciar é um dos piores erros que podemos cometer em nossa vida. Uma pessoa extremamente egoísta, que só vê as próprias necessidades e sentimentos, também não conseguirá alegrar a vida de ninguém.

Eu me refiro a defeitos e manias que não impeçam o desenvolvimento do amor, que não sejam incompatíveis com a natureza do amor, que é compartilhar, que é aceitar, que é compreender e acolher.


Não precisamos saber tudo, mas devemos manter aceso o desejo de aprender. Não precisamos acertar sempre, mas devemos ter a humildade para reconhecer que erramos. Não precisamos prever todos os riscos, mas devemos estar dispostos a juntar os cacos quebrados. Não precisamos concordar sempre com o parceiro, mas devemos respeitá-lo em sua individualidade. Não precisamos encontrar a solução para os problemas da pessoa amada, mas devemos estar sempre abertos a ouvir e a acolher quem amamos. Não precisamos ser super poderosos, mas devemos ser o lugar para onde o nosso parceiro deseja voltar depois de um dia difícil.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.