QUEM MORA NO CORAÇÃO NUNCA MORRE DE VERDADE!

Como posso dizer que uma pessoa se foi quando a vejo tão perto de mim? Quando a sinto aqui dentro de mim?

Não, me desculpem aqueles que falam de morte, que acreditam no fim, mas aqueles que amamos, que moram no nosso coração nunca morrem de verdade.

Todas as pessoas já perderam alguém muito amado. Mas essa perda é ilusão. Não perdemos as pessoas, porque na verdade não as temos. Precisamos parar com essa ilusão de posse. A vida não nos dá ninguém, ela permite que convivamos durante certo tempo, enquanto é bom pra nós e pra essa pessoa. Depois ela separa, e se precisar junta um dia novamente.

Quantas pessoas continuam vivas aqui na Terra, mas que já morreram para mim? Porque acabou o convívio, se esvaziou o sentimento, perdeu-se o sentido. E tantas outras partiram pra além desse mundo, mas o amor e o significado que tiveram para mim continuam vivos aqui dentro.

quem-mora-no-coracao-nunca-capa-e-dentro

É hora de mudarmos nossos conceitos de presença. A presença não é física, a presença é um sentimento interior. Os maiores contatos não são os de corpo. Várias mãos frias e sem significado já apertaram minhas mãos, várias pessoas sem nome já passaram por mim. Mas aqueles encontros de alma, ah, os encontros de alma… Esses parecem que levo comigo, parece que acontecem num mundo pra além desse, num mundo que aparenta existir dentro de mim mesmo. Os encontros físicos são passageiros, mas os de alma são eternos.

Não interessa se você acredita em outra vida. Se crê que essa pessoa um dia voltará a nascer e reencarnará na terra. Ou se pensa que quem se foi vive em um paraíso eterno. Eu acredito que a vida nunca acaba, mas o que eu quero lhe dizer é que o amor vai além de tudo isso. Pois o amor é mais que uma crença que só nos dará certeza no amanhã. O amor é uma presença do agora um sentimento que se dá no nosso corpo, que vai além de qualquer dúvida.

Nós não temos as pessoas, só temos nossos sentimentos por elas. Esses sentimentos não precisam de uma presença física, de uma retribuição ou da certeza de algo para que existam. Eles apenas aparecem, muitas vezes sem serem chamados, e se expressam em nós.

Enquanto você sentir algo por alguém esta pessoa estará viva em você, existirá em você.

Porém isso não significa que você deva viver por essa pessoa, que deva passar dias lembrando dela, que deva brigar com a vida por causa dela. Pode parar com esse drama, com essa revolta, com esse desespero. Só por que amamos uma pessoa não significa que devemos nos abandonar por causa dela. Um sentimento só é bonito quando faz bem, porque quando começa a atrapalhar vira doença.

Então, em vez de ficar aí chorando, querendo que a vida mude, pensando que as coisas poderiam ter sido diferentes, foque-se no seu sentimento. Pare de querer consertar a vida, isso é tudo imaginação. Volte pra realidade, perceba que o que passou, como já diz a palavra, passou… Do jeito que foi não vai mais ser. Porém tenha a certeza de que esses momentos estão bem guardados em você.

Quando quiser olhe lá para dentro. Olhe pra essa pessoa que mora ali, pra esse sentimento que você cultiva. Mas olhe com alegria, com amor, com a sensação de dever cumprido, com respeito pela vida, com compreensão e com esperança.

Pois se você resolveu guardar alguém no seu coração deve então cuidar com muito carinho, criar um ambiente de paz, regando esse sentimento de boas lembranças, na certeza absoluta de que a vida faz tudo certo, e que enquanto amarmos, nada morrerá!



Deixe seu comentário