Querido Deus, obrigado(a)!

5min. de leitura

Obrigada por este coração.

Por este pequeno músculo batendo dentro do meu peito. Obrigada pela sua resistência, pela sua força. Obrigada por ajudá-lo a bater através de cada cena aterrorizante em um filme assustador, através de cada beijo, através de todas as manhãs em que eu estava tão cansada, e não queria enfrentar o mundo. Obrigada por me dar força física – para superar obstáculos, para seguir em frente, para nunca parar. Obrigada pela minha força emocional – para permitir que as pessoas me conheçam, para perdoar, para compartilhar o amor com os outros. Às vezes eu me esqueço de quão incrível é este músculo, trazendo oxigênio para o meu corpo, mantendo-me viva, lembrando-me que mesmo na minha humanidade, eu sou poderosa. E me ajudando a amar, e continuar amando. Então, obrigada.




Obrigada pelas minhas mãos.

Mãos para tocar, segurar, abraçar, amar. Obrigada pelos momentos em que meus pais seguraram minhas mãos na deles, pelas vezes em que eu pude escovar o cabelo da minha irmã. Obrigada por minhas mãos terem sarado, pelos caminhos que elas aprenderam, pelas ligações que fizeram com outras mãos e me fizeram ver a beleza na imperfeição.


Obrigada por amar.

Pela capacidade de sentir, abrir, doar. Pelas maneiras através das quais você me mostrou o amor e me deu amor das pessoas ao meu redor. Obrigada pela minha família, meus amigos, meus colegas de trabalho, pelos estranhos, pelos amantes. Obrigada pelas vezes que você mostrou ao meu coração como é ser cuidado. Obrigada por me ensinar a me doar, totalmente, aos outros.


Obrigada pela dor.

Obrigada por todas as noites em que minhas lágrimas se misturaram as gotas de água dos meus banhos, as noites em que me senti sozinha e incompreendida. Obrigada pelo desgosto, pelas lições difíceis, pela exaustão e quebrantamento. Porque eu aprendi que estou inteira em você.



Obrigada pelas noites solitárias.

As noites em que eu ficava acordada até tarde, assistindo faróis dançarem através da janela do meu quarto. Obrigada por me mostrar como curar e como estar sozinha. Obrigada por construir minha força, dia a dia, mesmo quando sentia que estava ficando cada vez mais fraca. Obrigada por me lembrar que o vazio é temporário, e que eu posso sempre ser preenchida com o seu amor.


Obrigada pelos que partiram.

No momento de sua partida, senti-me traída, eu pensei que você tinha virado as costas para mim. Mas você estava me mostrando quem era temporário, e quem estava lá para ficar. Você estava me mostrando que eu não posso colocar minha fé em pessoas pecadoras, não posso depender delas como fonte de felicidade, mas posso, em vez disso, me apoiar em você. E você não vai embora. Obrigada por nunca partir, e prometer ficar ao meu lado para sempre.


Obrigada pelas orações sem resposta.

Porque esta vida não é sobre receber o que eu peço, não é sobre basear meu relacionamento com você no que eu recebo, não é sobre desejos sendo concedidos e receber as coisas à minha maneira. Porque o teu plano é maior do que o meu jamais será. E cada oração sem resposta era uma bênção disfarçada.



Obrigada por ser tudo o que eu precisava.

Por escutar quando derramei meu coração, por me guiar quando perdi meu equilíbrio, por ser uma fonte de inspiração e confiança, por me lembrar que sou tua, para sempre. E que eu sou amada. Obrigada por ficar quando o mundo virou as costas. Obrigada por me lembrar que, não importa o quão dura seja essa vida, você sempre estará aqui. Obrigada por dar o seu filho pelos meus pecados.


Obrigada pelo perdão.

Por me perdoar, por me ajudar a aprender a perdoar, pelo modo como o perdão cura e salva e nos permite começar de novo com nova esperança. Obrigada por fazer meu coração voltar à sua força total. Obrigada por me mostrar como a vida pode ser linda quando deixamos ir. Obrigada por oportunidades, por novos começos.

Obrigada pela esperança.

____

Traduzido pela equipe de O Segredo – Fonte: Thought Catalog

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

* Matéria atualizada em 13/01/2017 às 5:59






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.