publicidade

Receba de Deus hoje flexibilidade, ânimo e um coração preparado para a boa semente

Precisamos ouvir aquilo que Deus tem para nos falar através das pessoas escolhidas e enviadas por Ele.



Que tipo de solo você é? Já parou para pensar que tipo de solo você é? Certa vez, Jesus contou por parábola a história de um Semeador que saiu a semear as suas sementes. Uma delas, caindo à beira do caminho, foi pisoteada e serviu de alimento para as aves. Seguindo em frente, o homem derrubou as sementes em meio às pedras; o grão chega a brotar, mas não tem umidade suficiente para crescer e frutificar. Semeou também em solo espinhoso e a planta chegou a crescer, mas logo foi sufocada pelos espinhos. Até que, enfim, o Semeador plantou em terra boa e ela nasceu, cresceu, floresceu e frutificou.

Analisando cada solo, é interessante notar que o nosso coração, às vezes, é duro, insensível e impenetrável.

Não somos receptíveis à palavra de Deus e deixamos o nosso orgulho falar mais alto e o ego domar as situações de nossas vidas. A multidão que vem, que vai e que passa deixa o nosso solo cada vez mais denso e seco. E quando olhamos para trás, só conseguimos enxergar as aves se alimentando daquilo que poderia vir a ser nossa sustância.

A semente que caiu no meio das pedras descreve um coração raso e superficial. Um coração sem umidade suficiente para crescer e frutificar, sem espaço para a planta criar raízes e se alimentar. Muitas vezes temos entusiasmo com a palavra e por um tempo parecemos ser pessoas animadas e até veementes com a fé cristã; mas logo chegam as provas, as dificuldades aparecem e nós nos escandalizamos, tropeçamos e secamos. Demonstrando apenas uma fé emocional e um entusiasmo passageiro, que logo desanimam e retrocedem, fazendo assim o nosso próprio sufoco. O coração superficial não frutifica.


Difícil mesmo é aceitar que o nosso coração também pode ser um solo confuso. Sabemos que nosso terreno caótico é como espinhos embaralhados, cercando o nosso coração, com um único objetivo, resguardar-se.

A fragilidade e o medo nos levam a ter desconfiança e cautela com qualquer pessoa ou com qualquer semente. Assim, aquilo que deveria dar origem a uma flor murcha, perecendo por medo. Medo de ouvir, de sentir, de aceitar e de guardar. Não conseguimos perceber que através dos espinhos que carregamos para nos privar, ferimos outras pessoas.

Mas caiu em terra boa, um solo produtivo a recebeu e a semente germinou. Um coração de terreno fértil onde a semente nasceu, cresceu, floresceu e frutificou. 

Precisamos ouvir aquilo que Deus tem para nos falar através de pessoas escolhidas, separadas e enviadas por Ele, devemos pedir orientação e direção ao Mestre para que possamos discernir semeadores e aves, sementes e resíduos.


Precisamos achar em nosso coração guarida para a semente do amor e da verdade. Sei que é difícil, ainda mais com tantas circunstâncias que nos levam a ser rígidos, medíocres e descrentes.

Em nome de Jesus, receba de Deus hoje flexibilidade, ânimo e espiritualidade. Que possamos escancarar as portas do nosso coração e deixar que a semente seja semeada, regar com lágrimas de carência de Deus e receber o consolo do Espírito Santo, para que possamos frutificar. Que Deus nos dê um coração aberto, receptivo, preparado para a boa semente. Que nossa vida seja um canteiro fértil a produzir muitos frutos, para a glória de Deus.

“Eu caí tanto na minha vida que aprendi a ver o chão macio. Eu sei que não plantei espinhos porque já voltei descalço pelo caminho e encontrei somente flores.” 


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF Imagens.

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.