ColunistasComportamento

Reconheça-se diariamente!

A pergunta que vou te fazer pode parecer estranha, até mesmo com a resposta óbvia demais, porém, eu preciso te questionar: Você se lembra quem realmente é você?



Você pode não ter se dado conta, mas, por descuido, carência, influência, ou por desejo de aceitação e amor, acabamos abrindo mão de nós mesmos. Deixamos de nos permitir pequenos prazeres inocentes, mas que faziam parte de nossa identidade. Porque muito do que somos é fruto de nossos pequenos atos.

E com o tempo, acabamos esquecendo quem nós somos, do que realmente gostamos. Assim, tire um tempo hoje para refletir sobre tuas escolhas mais básicas e simples do cotidiano, como estilo musical, roupas, comidas, bebidas, programas de TV.

Quanto do que você está fazendo em sua rotina é totalmente teu?  Ou seja, o que você faz porque realmente você gosta de fazer. E quantas coisas você está fazendo, ouvindo, comendo, bebendo, lendo, ou assistindo, mas que no fundo no fundo não te satisfazem.


É necessário pensar ao contrário também. Quais coisas você deixou de fazer nestes últimos anos, apenas para agradar, ou não desagradar alguém? Lembre-se quem você era há 5 ou 10 anos atrás. Por que muitos dos seus hábitos mudaram? Estas mudanças foram positivas ou negativas?

Faça diferente hoje. Que tal um exercício para se redescobrir? Lembre-se de algo simples que você gostava de fazer e por algum motivo conhecido ou desconhecido, faz muito tempo que você não faz. Pode ser dançar, tomar um sorvete, caminhar, deitar no chão da varanda, cantar no chuveiro. Algo assim.

Redescubra-se, reconheça-se. Reencontre a tua essência, através dos pequenos detalhes que nos formam enquanto seres humanos. E lembre-se, a complexidade da alma é o conjunto de nossas mais comuns simplicidades.


Quero um amor para juntar os pés no domingo…

Artigo Anterior

Quando a alma adoece…

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.