publicidade

Reconquiste seu eu!

Ao longo de nossa vivência, obviamente, nos deparamos nas mais variadas situações e experiências que com certeza, nos marcaram de alguma maneira positiva ou negativa. E, também, em muitos momentos quando nos vemos emaranhados em tantos conselhos e opiniões, que a personalidade natural adoece e passa a ser moldada pelas muitas vozes azedas que se sentem no direito de pincelar a sua vida ao modo que bem entendem e/ou querem.



Entende-se como personalidade natural como aquela que se manifesta espontaneamente na vida (espontaneamente e não sem educação, deixando bem claro), que sorri, que abraça, que dança, que chora, que sente tudo na sua pessoal medida de sentir.

Passam-se dias e anos, e caminhamos sob o julgo de terceiros aprisionando o que verdadeiramente somos, pois o nosso EU, aquele que Deus nos deu ao sermos gerados, foi calado sentindo a dor de ter sido esquecido. E tudo continua no fardo de ter perdido seu EU para a sociedade de uma maneira geral, onde você concordar ou discordar, gostar ou desgostar compõem regras hipócritas a serem seguidas. E se você não as seguir, com certeza será marginalizado por uns tantos hipócritas que veem na ignorância da manipulação, um forte meio de ter seus “bonequinhos” como suas eternas marionetes.

Não é à toa, que os vistos como “loucos” assustam por sempre estarem fora do sistema de algum jeito, porque não se rendem às ideias vazias que na maioria das vezes a sociedade nutre, colhe e acata como as mais corretas, sem ao menos questionar nada!

Entronizado nisso, a incoerência domina a coerência discursos sem nexo e caricatos crescem em escalas preocupantes fazendo que ecos sejam repetidos e não questionados. E nesses ecos, constitui-se um EU oco, pesado e cinza. Nada brota desse EU escravo nem flor, nem cor.


Porém, alguns acordam. E quando acordam, imediatamente querem recuperar o tempo em que ficaram aprisionados dentro de si mesmo e libertam a voz que foi amordaçada começam a cantar, a rir, a chorar, a amar, a sentir novamente tudo… recomeçam a sentir a vida, recomeçam a ser dono da própria vida. Uma canção chamada Ramble On, do ano de 1969, da premiada banda britânica Led Zeppelin, me chama atenção toda vez que aouço, todavia um trecho é meu preferido: “Mine’s a tale that can’t be told/ My freedom I hold dear”( “Minha é a história que não pode ser contada/ Minha liberdade eu a prezo”). A história tem que ser sua e a liberdade não pode lhe ser roubada!

Com a reconquista de seu EU, há estranhezas de suas reações e de tacham como inconveniente, chato, sem graça e tantos outros adjetivos que tentam te classificar por você não fazer mais parte de uma corrente bestial e regressiva. Portanto, continue na reconquista de seu EU e firme-se nas bases de novos aprendizados para que assim, tenha-se a soma de bons fluídos para você e para os que te cercam.


Seja luz e não abismo. Seja você na ousadia de sua essência, na intensidade da maneira como enxergas e como desejas. Não permita que te tirem o direito de querer permanecer o mesmo ou querer mudar, ou ter preferências por x ou y. A frequência das mudanças interiores quem sabe é unicamente você.

Charlene Santos

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.